2oª Edição do Festival de Teatro do Rio


 

festival-de-teatro-do-rio

Festival de Teatro do Rio chega a sua 20ª edição e homenageia José Celso Martinez, líder do Teatro Oficina. Este ano serão distribuídos mais de 50 mil reais em prêmios.

De 01 a 17 de dezembro, com apresentações na Sala Baden Powell, Cidade das Artes, Cinelândia, Madureira, Praça Mauá e Paquetá.

Um dos eventos teatrais mais antigos do Rio de Janeiro, o Festival de Teatro do Rio, tornou-se referência para classe, estudantes e público em geral. Nesta edição, o objetivo é realizar um evento com o maior alcance de público de sua história, com uma programação de qualidade, estímulo à linguagem teatral e intercâmbio. Em sua 20ª edição, o Festival terá duração de 16 dias e contará com a participação de “Estamira”, “Mercedes”, “Amor, Te” e “Em um lugar chamado lugar nenhum”, entre outros.

Serão duas semanas de apresentações gratuitas de peças, esquetes, debates, oficinas e atividades teatrais, com expectativa de receber pessoas das Zonas Centro, Sul, Norte e Oeste da cidade. O evento oferece a toda sociedade um panorama do que há de melhor na nova cena teatral.

O patrocínio é da Secretaria Municipal de Cultural, através da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

O HOMENAGEADO
Em 2016, o Festival irá homenagear José Celso Martinez, grande ícone do teatro brasileiro. Diretor, autor e ator, destacado encenador da década de 1960, inquieto e irreverente, líder do Teatro Oficina, uma das companhias mais conectadas com o seu tempo. Uma das pessoas mais importantes ligadas ao teatro, seu trabalho é visto com antropogáfico. Por experimentar formas ousadas de se realizar uma peça teatral, Zé Celso já se viu entre críticas sensacionalistas.

Construiu um dos mais originais percursos dos palcos brasileiros. É, provavelmente, a personalidade criativa mais forte do teatro brasileiro. Foi, em todo o caso, o encenador mais aberto a ideias ousadas e sempre renovadas, capaz de realizar, a partir delas, espetáculos surpreendentes, generosos, provocantes, excepcionalmente inventivos. Atualmente, Zé Celso, como é conhecido, se intercala entre cinema e teatro.

A cada edição, o Festival de Teatro do Rio homenageia um artista que tenha, em sua história profissional, grande ligação com os palcos. Entre os prestigiados em edições anteriores estão: Domingos de Oliveira, Fernanda Montenegro, Ítalo Rossi, Maria Clara Machado, Milton Gonçalves, Nathália Timberg, Paulo José, Renata Sorrah, Laura Cardoso, Tônia Carrero e Sérgio Britto, além do grupo Asdrúbal Trouxe o Trombone e do Retiro dos Artistas.

MOSTRAS COMPETITIVAS
Para compor as Mostras Competitivas, foram selecionados, 9 trabalhos de cenas longas, peças com no mínimo 45 minutos, e 16 cenas curtas, além de esquetes com no máximo 17 minutos. Os espetáculos serão apresentados na Cidade das Artes e avaliados por um corpo de cinco jurados, além do voto popular. As obras serão indicadas e premiadas nas categorias (para cenas longas e curtas, cada):

­           Melhor Espetáculo Teatral
­           Melhor Espetáculo Teatral pelo Júri Popular
­           Melhor Texto
­           Melhor Direção
­           Melhor Ator
­           Melhor Atriz
­           Visualidade (cenário, luz e figurino)

Cenas longas – Cidade das Artes
Estamira – beira do mundo
GRUPO: Momoenddas Produções Artisticas (Rio de Janeiro-RJ)
Dia 7 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: Uma catadora de lixo, doente mental crônica e com uma percepção do mundo surpreendente e devastadora que faz provocações profundas sobre os modos de vida e a organização da sociedade. A peça não só é um documentário sobre Estamira, mas também um depoimento pessoal e artístico de Dani Barros, que reconheceu na história da personagem da vida real retratada no filme de Marcos Prado parte da sua experiência pessoal. O pano de fundo da história é o lixão, porta pela qual adentramos o universo de Estamira, onde são encontradas cartas, memórias e histórias que não se podem jogar fora.
DURAÇÃO: 75 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Foto: Emi Hoshi

Estamira – Foto: Emi Hoshi

Curral Grande
GRUPO: Coletivo Ponto Zero (Rio de Janeiro-RJ)
Dia 8 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: Quatro atores revisitam o fato histórico da existência de Campos de Concentração no Nordeste dos anos 30 e revezam-se entre mais de 40 personagens para contar esta história de maneira lúdica e dinâmica.
DURAÇÃO: 70 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Caravana de Sonhos
GRUPO: Arte em Cena (Volta Redonda – RJ)
Dia 9 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: Mescla de Comédia Dell’Arte com cultura nordestina, conta a história de Totó Caldeiras, o galã bonitão e poderoso, apaixonado pela esposa Juliet Stone, que gosta mesmo é do poeta Chicório Melôncio, que foi se apaixonar por uma hippie que vive em alfa e cai de amores por Chiquinho Gago, filho de Totó e Juliet e morre de encantos por Tininha, apaixonada em Ralé Malandro, um liso danado louco em Despirocada, empregada desbocada de Totó e Juliet. E é aí que vem o babado: Despirocada é apaixonada, doidinha daquelas paixões de dar fogo no faniquito, adivinhe por quem? Pelo próprio patrão!
DURAÇÃO: 80 minutos
CLASSIFICAÇÃO 16 ANOS

Mercedes
GRUPO: EMÚ (Rio de Janeiro-RJ)
Dia 10 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: Fruto de uma linguagem de pesquisa afro fisicalizada, o espetáculo aborda a vida de Mercedes Baptista, primeira bailarina negra a compor o corpo de baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e principal percussora da dança afro-brasileira pelo mundo. O universo da ficção submete um retorno às expressões afro-brasileiras, através da apresentação de uma narrativa em torno da construção da identidade negra na dança brasileira, contada a partir de fatos reais e fictícios da vida da personagem título. A peça mergulha na história dessa personalidade, que atingiu lugar de prestígio no Brasil e no Mundo, a partir de uma visão poético-corporal das danças de matriz negra e folclóricas do Brasil.
DURAÇÃO: 70 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Mercedes - Foto: Daniel Barboza

Mercedes – Foto: Daniel Barboza

PEÇA: Amor,te
GRUPO: Teatro Vírgula (Rio de Janeiro-RJ)
Dia 11 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: Sobre amor, sobre morte e sobre nós mesmos. Amor, te. reúne histórias e os conflitos que carregam as relações a dois.
DURAÇÃO: 60 minutos
CLASSIFICAÇÃO 16 ANOS

O Diário de Genet
GRUPO: ATeliê voadOR Companhia de Teatro (Salvador-BA)
Dia 14 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: O DIÁRIO DE GENET é um espetáculo que desestabiliza e desfamiliariza conceitos de normalidade/normatividade e questiona os discursos hegemônicos socialmente naturalizados. É, também, uma homenagem aos 30 anos de morte do autor, considerado por Sartre como um dos mais importantes do século XX. O DIÁRIO DE GENET é a imersão no pensamento político a partir das obras do escritor francês Jean Genet. O espetáculo, que assume características que alguns teóricos chamam de teatro contemporâneo ou performativo, positiva as práticas abjetas, desloca o centro como lugar privilegiado e desejado e coloca em destaque a marginalidade como estratégia de identidade política, um pretexto para fazer emergir temas como a crítica a comportamentos hegemônicos, a marginalidade e positivação da subalternidade.
DURAÇÃO: 70 minutos
CLASSIFICAÇÃO 16 ANOS

BORRA
GRUPO: Trupe Investigativa Arroto Cênico / Confraria de Teatro Nau dos Loucos (Nova Iguaçu-RJ)
Dia 15 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: Oito personagens que têm seus destinos cruzados dentro de uma cela. A sobrevivência é a única regra em um mundo protegido pelas grades do sistema carcerário. Esta montagem provoca um discurso a partir das imagens simbólicas de oprimido e opressor: os presos que estabelecem uma ordem dentro da cela, o sistema carcerário que estabelece uma ordem dentro da prisão, a justiça que estabelece uma ordem no sistema, o governo que instaura a sua justiça e a sociedade que compactua, mostrando um sistema frágil em todas as suas relevâncias. Livremente inspirada na obra de Plínio Marcos.
DURAÇÃO: 60 minutos
CLASSIFICAÇÃO 16 ANOS

Em um lugar chamado Lugar Nenhum
GRUPO: Raiz (Rio de Janeiro-RJ)
Dia 16 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: Uma história de amor que mistura fábula e realidade e busca inspiração na literatura de cordel. Em 1950, num vilarejo longínquo chamado “Lugar Nenhum” pouco tempo tinha desde a chegada do maior meio de comunicação na cidade – o Rádio. Através dele, os pacatos cidadãos daquele local tomam conhecimento do mundo. Sem que percebam, seja para o bem ou para o mal, esse aparelho moderno vira de ponta cabeça a vida de um jovem casal que estava fadado a se conhecer, casar, trabalhar, ter filhos e só.
DURAÇÃO: 80 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Velhos caem do céu como canivetes
GRUPO: Pequena Companhia de Teatro (São Luís-MA)
Dia 17 de dezembro – Cidade das Artes – 20:00
SINOPSE: Apresenta duas personagens em permanente exercício dialético: um Ser Humano e um Ser Alado. O ser alado cai no quintal do ser humano, um catador de lixo que vê a sua rotina mudar. O exílio forçoso de um, e a miséria do outro, pontuam a trama, que apresenta um cenário pós-apocalíptico permeado de desesperança. Livremente inspirado no conto “Un señor muy viejo con unas alas enormes”, de Gabriel García Márquez.
DURAÇÃO: 60 minutos
CLASSIFICAÇÃO 14 ANOS

Cenas curtas

01 DE DEZEMBRO Sala Baden Powell (19h)
O Pai do Paulão
(Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Na final do jogo do Flamengo, Paulão decide comunicar a seu pai que é gay.
DURAÇÃO: 16 minutos
CLASSIFICAÇÃO 16 ANOS

Clarice
GRUPO: Companhia às pressas (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: A cena se passa dentro da cabeça de Clarice, que está em uma festa. Suas cinco facetas precisam umas das outras para que o corpo de Clarice funcione. Porém, neste dia, as personagens entram em colapso numa mistura de pensamentos e emoções.
DURAÇÃO: 12 minutos
CLASSIFICAÇÃO 10 ANOS

Os Velhinhos
GRUPO: Dupla Mão na Roda (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Dois velhos rabugentos fazem de um simples passeio uma verdadeira confusão. Situações simples de serem resolvidas se transformam em inusitadas e surreais resoluções.
DURAÇÃO: 7 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

É sobre você também
(Rio de Janeiro – RJ)
SINOPSE: Uma mulher se arruma para seu casamento e enquanto isso vai fazendo questionamentos sobre sua vida e suas escolhas em meio a surtos de loucura muito lúcida. Na cena ela também questiona sua relação com seu pai. A cena se desenrola de forma bem humorada.
DURAÇÃO: 17 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Empoeiradas
GRUPO: Casa 407 Coletivo de Teatro (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Duas palhaças muito vaidosas se encontram e começam uma relação pautada na disputa de poder, de beleza, de saber e de força. Sem sucesso, em suas tentativas, percebem o fracasso desse anseio de mostrar sua superioridade frente à outra. Assim, aos poucos, começam a se enxergar cada vez mais parecidas, tanto em suas fragilidades quanto em suas potencialidades. Isso as torna cada vez mais próximas e faz com que se percebam grandes parceiras.
DURAÇÃO: 11 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Espero encontrar quem eu espero encontrar
GRUPO: Grupo Garagem (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Quando a sonhadora Marina dá o seu primeiro Match num aplicativo de relacionamentos, milhões de possibilidades de uma vida incrível ao lado de um novo amor surgem em sua cabeça. Mas nem na sua fértil imaginação ela pensou na odisseia incomum que teria que enfrentar para chegar até o esperado encontro.
DURAÇÃO: 12 minutos
CLASSIFICAÇÃO 10 ANOS

País das “Maravilhas”
GRUPO: Cia. Os Brincantes (Rio de Janeiro-RJ)
ELENCO: Barbara Mendes, Letícia Lobo, Paula Raia e Valber Rodrigues
SINOPSE: Dentro de uma plataforma de 2m², a Cia Os Brincantes apresenta uma releitura da história de Alice, de Lewis Carroll. Dessa vez, o país para o qual a menina recebe um chamado é o Brasil, o país das “Maravilhas”. Alice deve cumprir a missão de devolver a coroa à Rainha Dilmátria, tomada, injustamente, pelo impostor Temerus – uma sátira à situação política atual.
DURAÇÃO: 15 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

02 DE DEZEMBRO Sala Baden Powell (19h)
Academia
GRUPO: Cia Dell’Arte (Socorro-SP)
SINOPSE: Craudete, uma senhora na menopausa, solteira, para tentar melhorar a auto-estima resolve ingressar na academia, depois de tentar sem sucesso arrancar olhares dos rapazes passando em frente a uma construção. Convoca sua amiga Creuza para lhe acompanhar. Depois de horas intensas na academia, focando nos exercícios para as pernas, as duas voltam para casa, certas que já emagreceram. Porém, no dia seguinte, Craudete se depara com a realidade: a única coisa que se mexe em seu corpo são os olhos.
DURAÇÃO: 15 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Sina-Gentio
GRUPO: Tribo Cia de Teatro (Manaus-AM)
SINOPSE: Após rememorar seus antepassados por meio da dança e do canto, Manú inicia a trajetória de colonização do seu povo: o encontro e luta com o colonizador; a catequese e a força da Igreja; a matança indiscriminada, movida por interesses, como por exemplo, de Haximu. As queimadas e a grilagem também são apontadas como sendo causas da expulsão dos índios de suas terras.
DURAÇÃO: 17 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Macbeth
GRUPO: Os Malditos (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: O espetáculo parte da desconstrução, tirando do pedestal este grande dramaturgo e conversando seus sonetos e textos, de forma descontraída e espontânea. Os atores usam apenas os seus corpos para colocar a plateia nos cenários de castelos e realizar percussões.
DURAÇÃO: 15 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

P.I.P.A. – Pacientes Internados Prontos para o Açoite
GRUPO: Agromelados Cia teatral (Niterói – RJ)
SINOPSE: Soltando pipas, quatro pacientes brincam ao vento mas voltam à realidade quando um enfermeiro aparece com os medicamentos. Com as suas asas retiradas, alguns questionam e outros aceitam o tratamento realizado. Ao final “uma pipa” liberta todos eles.
DURAÇÃO: 15 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Batalha Naval
GRUPO: Pé de Palco (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Duas crianças disputam, em um tabuleiro, a liderança da turma. Fortemente influenciados pelos acontecimentos políticos, elas se tornam protagonistas de uma história que sequer conhecem bem, mas replicam com exatidão o que qualquer uma delas pode ter assistido na televisão.
DURAÇÃO: 14 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

MACACOS
GRUPO: Cia do Sal (São Paulo-SP e Rio de Janeiro-RJ)
ARTE: Nathalia Rezende
SINOPSE: A partir do relato de um homem-negro em busca de respostas para o racismo que rodeia seu cotidiano e a História de sua comunidade, a cena se desenrola num fluxo de pensamentos, desabafos e elucidações fantásticas que surgem em cena a partir do nosso contexto histórico. Os questionamentos do homem-negro chegam a um grande ápice que convida o público a pensar e debater sobre os preconceitos mascarados que existem no cotidiano brasileiro, que se agravam e aumentam cada vez mais em casos e números.
DURAÇÃO: 14 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Saudades-Branca
GRUPO: Multifoco Cia de teatro (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Uma estação de trem. Três personagens esperam cada uma o seu embarque. O apito do trem anuncia uma mudança em suas vidas. Saudades-Branca é isso: é a nossa alma dizendo pra onde quer voltar, é a saudade do futuro, a segurança do presente e um sorriso ao olhar o passado. É um instante onde a imaginação é levada por balões e cartas que nunca foram entregues.
DURAÇÃO: 14 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

03 DE DEZEMBRO Sala Baden Powell (19h)
Café
GRUPO: Coletivo de Ninguém (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Um homem que gosta de café está sozinho no palco, ele sabe que está sozinho e se sente assim. Através de suas memórias fala um pouco sobre esse sentimento, tenta botar pra fora muita coisa que não cabe mais e precisa sair de alguma maneira. Estamos todos sozinhos, cada um no seu mundo. Mesmo junto, a gente está sozinho.
DURAÇÃO: 10 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Panchito Gonzalez
GRUPO: Cia. Atores da Fábrica (Nova Iguaçu – RJ)
SINOPSE:
Ao se ver pai de família, Panchito desiste de seu sonho de ser engenheiro e emprega-se numa transportadora de carne que vence uma licitação para prover duas mil toneladas de carne para a África do Sul. Só não contava que a mesma propagaria a Peste Bubônica.
DURAÇÃO: 16 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Tchekhov em Solo – Malefícios do Tabaco
GRUPO: Trupe Andarilhos de Teatro (Cabo Frio-RJ)
SINOPSE: Sr. Nioukhine é obrigado pela esposa, a fazer uma conferência para fins beneficentes sobre o uso e o abuso do tabaco. Porém, as coisas não saem como esperado, e sua vida privada acaba por ser o tema principal da conferência. Uma clássica tragicomédia, de Antón Tchékhov, onde rir é o melhor remédio para não chorar.
DURAÇÃO: 17 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Sofénia Amadeo, a pintura
GRUPO: Trupe Zarpando (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: A história da cena baseia-se na relação entre um pintor (palhaço Amadeo) e sua musa inspiradora (palhaça Sofénia). Na tentativa de fazer sua grande obra de arte Amadeo se depara com a inesperada aparição de Sofénia. Toda trama desenrola-se de forma surrealista, objetos e atores criam situações inusitadas em um cenário lúdico, ambientando um atelier de pintura. O jogo com a plateia é estabelecido desde o primeiro momento em que Amadeo abre seu atelier, a fim de esperar por sua grande inspiração.
DURAÇÃO: 12 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Last Dance
GRUPO: Este Coletivo (Belo Horizonte – MG)
SINOPSE: Há anos dois artistas dividem palco e vida. Mas em algum ponto essa relação se perde e as transformações pessoais, sutis, revelam o vazio. O que vem depois do silêncio? O que começa quando tudo termina?
DURAÇÃO: 15 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Certificação Compulsória de Atores – Método da Enzima Monoamina Oxidase
(Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Uma funcionária do INMETRAC (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia das Artes Cênicas) realiza um teste de certificação compulsória, obrigatório a todas as pessoas que se dizem ‘atores profissionais’. Através dele, o governo federal avalia o talento do indivíduo, permitindo que ele continue ou não a desenvolver seus trabalhos artísticos.
DURAÇÃO: 13 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Chão de Pequenos
GRUPO: Companhia Negra de Teatro (Belo Horizonte/MG)
SINOPSE: Desconfiança. Rejeição. Medo de chuva! Um queria ser piloto de corrida. O outro gostava de ouvir o silêncio. Vieram da terra onde as crianças já nascem mortas. Ou envelhecem, ainda quando crianças. A cena traz a história da ligação entre dois jovens à espera de uma família. A paisagem sonora perpassa a dramaturgia e é fundamental para que o jogo corporal aconteça.
DURAÇÃO: 15 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

04 DE DEZEMBRO Sala Baden Powell (19h)
Selecionado
GRUPO: Cia de Teatro Arrebol (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Um homem está para descobrir que uma inconveniente ligação de telemarketing pode revelar mais de nós mesmos do que se imagina. “Você gostaria de adquirir o Seguro Personal?”
DURAÇÃO: 10 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Eu já falei sobre isso aqui?
GRUPO: Coletivo X (Belo Horizonte-MG)
SINOPSE: Uma mulher. Um desejo. Um preço. Quanto vale desvelar o meu segredo? Seria um erro desejar? Quem dita as regras? Eu já falei sobre isso aqui? Assassina!
DURAÇÃO: entre 10 e 15 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

Lágrimas de Beterraba
GRUPO: Creche na Coxia (Cabo Frio-RJ)
SINOPSE: Um casal vive numa casa distante da cidade. Enquanto ele sai para trabalhar ela cuida dos afazeres do lar e, sobretudo, colhe legumes e verduras para preparar a sua comida. O marido sempre fica muito satisfeito com as guloseimas, mas percebe, continuamente, uma lágrima nos seus olhos. A mulher culpa as cebolas e, então, o marido a proíbe de usá-las. Mas esta atitude não é suficiente para conter sua lágrima.
DURAÇÃO: 15 minutos
LIVRE

O Sexto Céu de Júpiter
GRUPO: Coletivo Køsmos (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Uma mulher decide dividir a sua memória em 6 segmentos. Estratificando todas as suas experiências como “mulher da vida” Júpiter assume a personalidade ancestral da figura da mãe de filho perdido. E presa no sexto segmento de sua psique, Júpiter discorre a partir das memorias de seu filho, sobre toda a questão da sexualidade perfurada.
DURAÇÃO: 13 minutos
CLASSIFICAÇÃO 16 ANOS

Apneia
GRUPO: Teatro Vírgula (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Submersa em suas lembranças, mulher busca refúgio em um vilarejo isolado, onde a solidão de seu mundo é diluída pelos habitantes da pequena cidade.
DURAÇÃO: 12 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

O sonho de uma flauta
GRUPO: Surgiu na Hora (Rio de Janeiro – RJ)
SINOPSE: O solo narra a história de um rapaz que sai de seu pequeno vilarejo, para aventurar- se no gigantesco mundo. A história é uma alegoria do rito de passagem natural do homem, quando deixa a adolescência para entrar na fase adulta. Os medos, anseios, saudades, alimentam a coragem que fazem romper as fronteiras que nós mesmos criamos para nos sentir seguros. A obra teatral é uma livre adaptação do conto homônimo de Hermann Hesse.
DURAÇÃO: 17 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

O Coma
GRUPO: Grupo Teatral LoucAtores (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE:
Olegário é um sujeito, banana, superprotegido pela ciumenta mãe e que se apaixona pelas ancas da fogosa Maria Angélica. Vários fatos acontecem e o fazem questionar: continuar sendo um banana ou não?
DURAÇÃO: 10 minutos
CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS

DEBATES
Ao final de cada apresentação o público será convidado para um debate, com atores, diretores e equipe técnica de cada espetáculo, criando uma rica discussão sobre os trabalhos apresentados, sua temática e linguagens abordadas. Esta ação proporcionará uma pesquisa e visão mais detalhada do trabalho por profissionais, artistas e público.

MOSTRAS DE RUA
O festival contemplará também Mostras de Rua, que serão apresentadas em espaços públicos, nos dias 5, 6,  12 e 13 de dezembro.

Dia 5 de dezembro – Cinelândia (18h)
Batalhão Boi Brincante
GRUPO: Coletivo Matuba (Rio de Janeiro-RJ)
SINOPSE: Boi Matuba, todo ano se reúne para brincar com o Amo, Nego Chico, Catirina, Índias, Cazumbas e Vaqueiros. Porém neste ano o boi teve uma parada “cardiobrincatória” por motivos misteriosos.
DURAÇÃO: 50 minutos
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Dia 6 de dezembro – Parque de Madureira (16h)
A Incrível Peleja de Simão e a Morte
GRUPO: Companhia de Arte Popular (Duque de Caxias-RJ)
SINOPSE: Farsa com referência de elementos da cultura popular, como o bumba-meu-boi, as carpideiras, a ciranda e as cantigas populares. Quatro atores e um músico interpretam, tocam e cantam a historia de “Simão”, um anti-herói que, com muita esperteza, tenta a todo custo se manter mais tempo na terra. Até que chega a hora da peleja e só um dos dois vencerá.
DURAÇÃO: 55 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Dia 12 de dezembro – Praça Mauá (18h)
O Grito
GRUPO: Ópera Prima Teatral (Niterói-RJ)
SINOPSE: Mendigos, o grito da fome; o legitimo e o ilegítimo, representam o grito de alerta; as máscaras, o grito de dor; os bonecos decepados, o grito de horror; o aborto, o grito da perda; a criada, o grito da subserviência; o banheiro, o grito de escárnio; a família, o grito da gula; a gula, o grito da morte; o homem encarcerado, o grito de liberdade; o hospício, o grito de paz. Com todas essas expressões atuais do desespero humano foi construído o espetáculo teatral.
DURAÇÃO: 50 minutos
CLASSIFICAÇÃO 16 ANOS

Dia 13 de dezembro – Paquetá (14h)
Dona Mocinha no vaivém da vida
(Co-produção Recife -Rio de Janeiro)
SINOPSE: Dona Mocinha é uma andarilha que cata e conta histórias do povo para o povo. Com espírito brincante ela entrelaça as poéticas da vida e dos saberes populares cultivando a celebração dos encontros. Pelo vaivém da vida chega com sua mala e convida a roda para contar histórias de tempos antigos. Num misto de andarilha, palhaça e griô, reconta para o seu povo a magia de “outros tempos”.
DURAÇÃO DO ESPETÁCULO: 45 min
CLASSIFICAÇÃO LIVRE

RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS
Serão realizadas duas residências artísticas, em Arenas Cariocas, localizadas nas Zonas Norte e Oeste da Cidade, com o objetivo de democratizar o acesso à cultua e promover a formação de plateias, levando o ensino e o conhecimento teatral para locais que possuem menos ofertas culturais. Jovens de escolas e instituições de ensino da rede pública, do entorno de cada Arena, serão convocados para criar três grupos. Cada grupo será orientado por um monitor educador na criação de um esquete desde a concepção até a montagem.

ENCONTROS DE CULTURA
O XX Festival de Teatro do Rio realizará seminário de políticas culturais e produção cultural, o “Encontros de Cultura”, que tem por objetivo fomentar o debate e a reflexão sobre as artes cênicas no país. A cada encontro haverá uma mesa com representantes da classe artística e de órgãos governamentais para discutir e debater sobre o mercado cultural, as políticas em vigência e as propostas para o futuro.

PROGRAMAÇÃO FESTIVAL

01/12 à 04/12
Mostra Cenas Curtas, na Sala Municipal Baden Powell, às 19h
Endereço: Av. Nossa Sra. de Copacabana, 360 – Copacabana, Rio de Janeiro – RJ

05, 06, 12 e 13/12 – Mostra de Rua
05/12 – Cinelândia – Praça Floriano – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20031-050
06/12 – Madureira – R. Parque Madureira, S/N – Madureira, Rio de Janeiro – RJ, (Entrada portão 1, próximo ao shopping Madureira)
12/12 – Praça Mauá – Praça Mauá, 1 – Centro, Rio de Janeiro, RJ.
13/12 – Paquetá – Escola Municipal Pedro Bruno R. Padre Juvenal – Paquetá, Rio de Janeiro – RJ
07 à 11/12 e 14 à 17/12 – Mostra Espetáculos
Fundação Cidade das Artes, às 20h – Endereço: Av das Américas 5.300, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ

05,06,07/12 – Mesas
Endereço: Av. Pasteur, 458 – Urca, Rio de Janeiro – RJ, 22290-240

FICHA TÉCNICA
DIREÇÃO GERAL
Diego Cosmetinni

PRODUÇÃO EXECUTIVA
Victor Burh

COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA-FINANCEIRA
Grasiele Teodoro

COORDENAÇÃO DE PRODUÇÃO
Mônica Bittencourt

PRODUÇÃO
Ana Helena Lima

COORDENAÇÃO ARTÍSTICA
Fabio Fortes
Vivian Sobrino

ASSISTÊNCIA DE COORDENAÇÃO ARTÍSTICA
Renata Egger

CURADORIA
Monica Biel
José Facury
Alexandra Arakawa

JÚRI
Moacir Chaves

PRODUÇÃO DE PALCO
Yuri Vasconcelos

TÉCNICO DE LUZ
Palito

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
Duetto Comunicação
Alessandra Costa
Michelli Toledo

PROJETO GRÁFICO
Ment

DESIGNER
Tairone Vale

WEBDESIGNER
Pedro Machado

CENOGRAFIA DA EXPOSIÇÃO EM HOMENAGEM A ZÉ CELSO
Maciel Tavares
Ary Freitas

FOTOGRAFIA
Duda de Marco

REGISTRO VIDEOGRÁFICO
CDD NA TELA (Romulo Johann e Igor Melo)

DEBATEDORES E PALESTRANTES
VICTOR DE WOLFF
RENATO MELO

VOLUNTÁRIOS

AGRADECIMENTOS
Roquete Pinto, Três Corações, Água Dona Natureza, Che Lagarto, Windsor Hoteis, UniRio, Sala Minicipal Baden Powell, Fundação Cidade das Artes, CDD na Tela, em especial Zé Celso Martinez por toda sua contribuição ao teatro brasileiro.

PRODUÇÃO: UTOPIA PRODUÇÕES
CO PRODUÇÃO: TRIO CARIOCA
PATROCÍNIO: PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO E SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA (confirmar com setor de marcas da prefeitura)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

abril 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30