4ª edição do Cena Brasil Internacional


 

4ª cena

Entre os dias 03 e 14 de junho o Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro recebe a 4ª edição do festival de artes cênicas Cena Brasil Internacional. Durante 12 dias, o evento apresenta oito companhias (13 espetáculos no total), sendo quatro nacionais e quatro internacionais, além da instalação “Dispositivo Móvel Ohno”, uma coprodução Brasil-Japão. Todos os espetáculos têm ingressos a preços populares, R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). As atrações estrangeiras contam com legendas eletrônicas em português em todas as sessões. O Cena Brasil Internacional tem patrocínio do Banco do Brasil.

Idealizador e diretor do Cena Brasil Internacional, o produtor carioca Sérgio Saboya ressalta que o festival tem como objetivo promover o intercâmbio entre artistas brasileiros e estrangeiros. “As companhias têm oportunidade de compartilhar seus processos criativos e artísticos. Além disso, aproximamos os grupos nacionais dos festivais internacionais”, ressalta Saboya, que comemora o sucesso da “Mostra Teatral Brasileira” realizada em Avignon (França) e Edimburgo (Escócia). O diretor adianta uma parceria inédita com a companhia chinesa Meng Jinghui Studio, que levará a mostra este ano para os festivais de Pequim e Wuzhen, na China. “Essas parcerias criam um espaço de encontro cultural e artístico muito rico, além de conferir notoriedade à arte brasileira no cenário internacional”, complementa Saboya.

Como nas edições anteriores, o evento ocupará a área externa do CCBB com um espaço de convivência com mesas, cadeiras e opções gastronômicas e, pela primeira vez, as salas de exposição do primeiro andar também serão utilizadas.

“É com satisfação que o Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro anuncia a quarta edição do Cena Brasil Internacional. Em 2011, o CCBB Rio selecionou um projeto capaz de oferecer ao país um festival de teatro com modelo pioneiro, trazendo estímulo ao intercâmbio entre companhias de teatro nacionais e estrangeiras, residências e oficinas. Em 2015, permanecemos trabalhando para o fortalecimento do cenário nacional de artes cênicas, ampliamos o festival com a inclusão de companhias do continente asiático e ocuparemos as salas de exposição do 2º andar do CCBB, além dos três teatros, a rotunda e o espaço do estacionamento com a área de convivência”, destaca Sueli Voltarelli, Gerente Geral.

PROGRAMAÇÃO NACIONAL

O Cena Brasil Internacional traz quatro companhias nacionais – uma do Rio de Janeiro e três de São Paulo, sendo sete espetáculos no total (5 inéditos e uma estreia nacional). A companhia carioca Os Dezequilibrados faz a estreia nacional de “Beije-me como nos livros”. Com direção e dramaturgia de Ivan Sugahara, a peça procura retratar o relacionamento amoroso e o seu desenvolvimento ao longo dos tempos. O elenco conta com os atores convidados Julio Adrião e Cláudia Mele, e com Ângela Câmara e José Karini, integrantes da companhia. “Beije-me como nos livros” encerra a trilogia sobre o amor iniciada em 2014 com os espetáculos “Amores”, de Domingos Oliveira, e “Fala comigo como a chuva e me deixa ouvir”, de Tennessee Williams.

De São Paulo, o festival programou três grupos que se destacam na cena contemporânea brasileira. Com 25 anos de trajetória, a companhia Razões Inversas apresenta a trilogia “Anatomia Comparada”, que propõe a discussão no teatro sobre a natureza da mente humana e a violência social. Composta por “Agreste” (2004), “Anatomia Frozen” (2009) e “Anatomia Woyzeck” (2013), as peças têm direção de Marcio Aurelio, diretor artístico do grupo ao lado do ator Paulo Marcello. Com exceção da primeira montagem, que teve uma breve temporada na cidade em 2006, as outras duas são inéditas no Rio.

Fundada em 2007 por André Guerreiro Lopes e Djin Sganzerla, a Cia. Lusco-Fusco explora a interseção de linguagens artísticas como o teatro físico, o cinema e as artes plásticas. O grupo apresenta duas peças inéditas na cidade: “O livro da grande desordem e da infinita coerência” e “Ilhada em mim – Sylvia Plath”, ambas com direção de André Guerreiro Lopes. A primeira foi criada a partir do romance autobiográfico “Inferno” e de fragmentos do texto “O sonho”, obras do dramaturgo sueco August Strindberg (1849–1902). É um espetáculo performático que justapõe teatro físico, música ao vivo e videoarte. Na segunda montagem, o grupo transpõe para o palco o universo da poetisa americana Silvia Plath, retratando uma artista no limite de sua experiência humana.

A jovem companhia paulista Empório de Teatro Sortido foi criada em 2010 por Rafael Gomes e Vinicius Calderoni. Escrita aos 19 anos pelo alemão Rainer Werner Fassbinder (1945-1982), “Gotas d’água sobre pedras escaldantes”, inédita no Rio, ganha sua primeira montagem brasileira. Na trama dirigida por Rafael Gomes, o ingênuo Franz (Felipe Haidar), de 19 anos, e o bem-sucedido e sedutor homem de negócios Leopold (Luciano Chirolli) se conhecem e decidem morar juntos. Um jogo de manipulação não demora a tomar conta do relacionamento, fazendo com que ambos passem a ver apenas suas diferenças e não mais aquilo que têm em comum.

PROGRAMAÇÃO INTERNACIONAL

A programação internacional apresenta quatro companhias (seis espetáculos no total): Meng Jinghui Studio (China), Ko Murobushi (Japão), Lagartijas Tiradas al Sol (México) e Gardi Hutter (Suíça).

Fundada em Pequim, em 1997, pelo diretor Meng Jinghui, a companhia Meng Jinghui Teatro Studio é conhecida por sua diversidade artística e pioneirismo no teatro chinês contemporâneo. Diretor residente do Teatro Nacional da China, Meng é um dos mais influentes artistas do teatro de vanguarda em seu país. Pela primeira vez no Brasil, o grupo traz ao festival a peça “The maids”, uma versão contemporânea do clássico francês “As criadas” – obra escrita por Jean Genet (1910-1986) na década de 40. A montagem de Meng traz jovens atores chineses representando papéis originalmente escritos para três mulheres. O cenário é composto por uma casa de bonecas com diversos ambientes mobiliados e com pequenas bonecas. Durante a apresentação, os atores filmam a casa e reproduzem as imagens ao vivo num telão no fundo do palco.

Lagartijas Tiradas al Sol é um coletivo mexicano dirigido por Luisa Pardo e Gabino Rodríguez. Criado em 2003, o grupo busca refletir sobre as novas dinâmicas da cultura mexicana contemporânea e já realizou 11 montagens. Em “Derretiré con un cerillo la nieve de un volcán”, a companhia revê a história do México sob a sombra do Partido Revolucionário Institucional (PRI), que governou o país por 71 anos (1929-2000). Luisa e Gabino, que estão em cena ao lado de Francisco Barreiro, investigam as origens e a trajetória do PRI a partir de seus sucessivos presidentes e da obra “La Revolución Institucional”, da professora e militante Natalia Valdéz Tejeda. Ator, autor e diretor do monólogo “Monserrat”, Gabino Rodríguez mergulha na própria história para tentar entender o desparecimento de sua mãe há 20 anos.

Na década de 70, o coreógrafo e bailarino japonês Ko Murobushi estudou com Tatsumi Hijikata, fundador do butô – dança surgida no Japão do pós-guerra. Em sua primeira vez no Rio, Murobushi mostra ao público dois projetos apresentados em sequência: “Quick Silver” e “Contorsions”. No primeiro, o mestre do butô conduz seu corpo ao limite para penetrar num universo de dor e trevas. Em cena, começa a performance vestindo um terno escuro e, aos poucos, revela o corpo pintado inteiramente de prata. Na segunda performance, o artista conta com a presença de dois jovens bailarinos japoneses, Teita Iwabuchi e Yoko Nakamura, para criar um paralelo entre corpos e revelar forças opostas intensas.

Com mais de 30 anos de carreira, a suíça Gardi Hutter é palhaça, mímica e atriz. Ao longo desta trajetória, conquistou vários prêmios ao redor do mundo e encantou plateias com sua personagem ligada à commedia dell’arte. Foi uma das primeiras mulheres a obterem o reconhecimento neste gênero no mundo e foi declarada “tesouro nacional” em seu país. A artista que está entre as mais importantes comediantes da Europa. No festival, Gardi apresenta o espetáculo inédito “A costureira”. Robusta, sensível e desajeitada, a personagem Joana d’Arpo é uma figura tragicômica, na linha de Charles Chaplin.

A INSTALAÇÃO

Durante o festival, a rotunda do CCBB recebe a instalação Dispositivo Móvel Ohno. O projeto é uma coprodução da Prod.Art.Br, de São Paulo, com o Ohno Studio, de Tóquio. Colaborador do bailarino e coreógrafo Tatsumi Hijikata, o japonês Kazuo Ohno (1906-2010) está intimamente ligado à fundação do butô, dança surgida no Japão do pós-guerra. “Dispositivo Móvel Ohno” resgata a história de Kazuo Ohno por meio de vídeos de todos os seus espetáculos, fotos, livros, entrevistas e pôsteres dispostos em uma estrutura metálica que lembra uma carroça. Elementos da cultura oriental – tatames e almofadas de futon – também compõem o ambiente.

OFICINAS, WORKSHOPS E PALESTRAS

Com intuito de promover a troca entre as companhias, o Cena Brasil Internacional promove – desde a primeira edição em 2012 – workshops, oficinais e palestras com os grupos participantes e profissionais do setor de artes cênicas.

A novidade desta edição visa desenvolver, além dos artistas, o setor de produção cultural brasileiro. O evento oferece três oficinas técnicas de formação profissional que têm como público alvo diretores, produtores, artistas, músicos, engenheiros e técnicos de som e de iluminação: “Oficina de Gestão Cultural Internacional” (com Nathalie Redant), “Live – Iniciação e aplicações no campo do espetáculo”,             (com Philippe Martins) e Wysiwyg, Dlight e Excel – Entender e usar os programas, (com Julien Ferreiro).

Ministrados por atores e diretores, os workshops abordam os processos criativos e artísticos das companhias nacionais e internacionais: “Ator Essencial” (com o elenco da companhia Empório Sortido – Brasil), “Compartilhando processos” (com a companhia chinesa Meng Jinghui Theatre Studio), “Democracia, biografia e documento” (com o grupo mexicano Lagartijas Tiradas al Sol), “Mímica Corporal Dramática de Etienne Decroux – Tornando Visível o Invisível” (com o ator e diretor André Guerreiro Lopes, da Cia. Lusco-fusco – Brasil), “Prática de processo criativo da Companhia Razões Inversas” (com o ator Paulo Marcello) e “Práticas criativas de Beija-me como nos livros – O nosso amor a gente inventa” (com a companhia Os Dezequilibrados). A programação também conta com seis palestras ministradas por companhias brasileiras e estrangeiras.

LISTA DAS ATRAÇÕES

NACIONAIS

Espetáculo: “Beije-me como nos livros” – Estreia nacional
Companhia: Dezequilibrados (Brasil – Rio de Janeiro)

Espetáculo: “Gotas d’água sobre pedras escaldantes” – Inédito no Rio
Companhia: Empório do Teatro Sortido (Brasil – São Paulo)

Espetáculo: “O livro da grande desordem e da infinita coerência” – Inédito no Rio
Companhia: Cia. Lusco-Fusco (Brasil – São Paulo)

Espetáculo: “Ilhada em mim – Sylvia Plath” – Inédito no Rio
Companhia: Cia. Lusco-Fusco (Brasil – São Paulo)

Espetáculo: “Agreste”
Companhia: Razões Inversas (Brasil – São Paulo)

Espetáculo: “Anatomia Frozen”– Inédito no Rio
Companhia: Razões Inversas (Brasil – São Paulo)

Espetáculo: “Anatomia Woyzeck” – Inédito no Rio
Companhia: Razões Inversas (Brasil – São Paulo)

INTERNACIONAIS

Espetáculo: “Montserrat” – Inédito no Brasil
Companhia: Lagartijas Tiradas al Sol (México)

Espetáculo: “Derretiré con un cerillo la nieve de un volcán” – Inédito no Rio
Companhia: Lagartijas Tiradas al Sol (México)

Espetáculo: “A costureira” – Inédito no Brasil
Companhia: Gardi Hutter (Suíça)

Espetáculo: “The maids” – Inédito no Brasil
Companhia: Meng Jinghui Studio (China)

Espetáculos: “Quick Silver” – Inédito no Rio + “Contorsions” – Inédito no Brasil
Companhia: Ko Murobushi (Japão)

COPRODUÇÃO BRASIL-JAPÃO
Instalação: “Dispositivo Móvel Ohno” (Coprodução Brasil-Japão) – Inédito no Rio

 

 

SERVIÇO:

Cena Brasil Internacional 2015

Data: De 03 a 14 de junho

Local: Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro)

Telefone para informações: (21) 3808-2020

Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

Site oficial do festival: www.cenabrasilinternacional.com.br

 

 

 

Assessoria de imprensa Cena Brasil Internacional

 Paula Catunda (paula.catunda@gmail.com)

Bianca Senna (bianca@astrolabiocom.com.br)

Assessoria de imprensa Centro Cultural Banco do Brasil

Bianca Mello (biancamello@bb.com)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

abril 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30