A Insanidade do Preconceito


 

Por Adriana Mello.

Tem coisas que por mais horrorosas que sejam, nós sabemos que existe, mas nos recusamos a acreditar e quando acontecem ficamos chocados. Sexta foi um desses. A jornalista Maria Julia Coutinho, a Maju, carismática moça do tempo do JN foi vítima de ataques racistas na Internet.

Tudo começou quando a página do JN no Facebook postou uma foto da jornalista em sua página: “Só conseguiu emprego no JN por causa das cotas Preta Imunda”, “Em pleno 2015 ainda temos preto na TV”, “Não tenho tv colorida para ficar olhando para essa preta, não”. Esses foram apenas alguns exemplos.  Maju também recebeu mensagens de apoio. No twitter a hashtag “ #somostodosmaju foi líder no Trending Topics o dia inteiro.

Devo dizer que tenho verdadeiro horror, pavor e nojo de gente racista. Acho qualquer tipo de preconceito e discriminação inadmissível. Para começar, racismo é crime e não tem nem conversa. Foi-se o tempo que a Internet era “terra sem lei” onde os covardes podiam se esconder atrás de seus computadores e nada acontecia. Hoje em dia já existem uma série de pessoas especializadas na investigação desse tipo de crime.

Durante a edição do JN, Maria Julia ganhou 70 minutos para falar. E não é que a danada fez bonito?! Segue alguns trechos do discurso:

Eu já lido com essa questão do preconceito desde que eu me entendo por gente. Claro que eu fico muito indignada, triste com isso, mas eu não esmoreço, não perco o ânimo, que é o mais importante.”

“Eu sei dos meus direitos. Acho importante essas medidas legais serem tomadas, até para evitar novos ataques a mim e a outras pessoas.

A militância que faço é com o meu trabalho, sempre bem feito, com muito carinho, com muita dedicação, com muita competência, que é o mais importante. Os preconceituosos ladram, mas a caravana passa.”

Os Ministérios Públicos do Rio de Janeiro e São Paulo já anunciaram que irão investigar as ofensas racistas contra Maria Julia. No Rio, o MP designou que o caso seja acompanhado pela Delegacia de Repressão de Crimes de Informática (DRCI). Em São Paulo, o promotor Christiano Jorge dos Santos vai apurar se houve crimes de injúrias raciais e racismo. A Rede Globo também demonstrou todo seu apoio para a jornalista.

O jeito é esperar as investigações serem concluídas, culpados identificados e punidos.


Palpites para este texto:

  1. é triste saber que, em pleno 2015, ainda tenha gente reproduzindo discursos racistas.
    lamentável.

  2. é triste saber que, em pleno 2015, ainda tenha gente reproduzindo discursos racistas.
    lamentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *