A Morte dos Mitos pela Imprensa: Valentino, Marilyn, Elvis e Lennon


 

Texto de Adriana Mello.

Assistindo outro dia no Youtube imagens da cobertura televisiva da morte de Elvis Presley em 1977, fiquei imaginando se tivesse ocorrido hoje, com toda a loucura mediática que gira em torno de qualquer acontecimento irrelevante de alguma celebridade. Não teríamos espaço para outra coisa com todo nosso tempo e nossa mente ocupados por um só tema, com a CNN, Fox News, BBC, Telemundo e afins diretamente de Graceland, narrando todos os detalhes e abusando de especulações, mesmo que de maneira atropelada e sem se preocupar necessariamente com a fidelidade dos fatos, pois é preciso ocupar todo o espaço possível e atingir instantaneamente o maior público possível, em escala mundial.

Resolvi pesquisar sobre o assunto e ver como a mídia e a imprensa cobriu a morte de quem talvez tenham sido os 4 maiores mitos do mundo artístico do século 20, mortos em épocas diferentes: Rodolfo Valentino, Marilyn Monroe, Elvis Presley e John Lennon.

Antes que me cobrem a ausência de acontecimentos relacionados à morte de nomes como John Kennedy, Ayrton Senna ou outro, lembro que estou me restringindo ao mundo artístico. Penso até em fazer outro semelhante com artistas brasileiros.

 

Rodolfo Valentino

 


 

Obviamente não havia televisão em 1926, quando morreu Valentino, mas isso não impediu o que talvez tenha sido a maior comoção em torno de um ídolo, numa época em que não havia essa cultura da celebridade de nossos dias. O vídeo acima é extraído de um cinejornal( o Cine Pathé), que seria o mais próximo do que temos hoje em dia com os telejornais.

.

Marilyn Monroe

Marilyn já era a maior estrela do cinema mundial e principal símbolo sexual de sua época. Amante dos irmãos Kennedy, ex mulher de Arthur Miller e Joe di Maggio, Marilyn nunca encontrou a felicidade. Sua morte repentina em 1962 causou estupor no mundo. Até os dias atuais sua morte é alvo de das mais diversas especulações, teses e até teorias conspiratórias.

.

Elvis Presley

 

Elvis já não era mais o mesmo quando foi encontrado morto em sua mansão em Graceland em 1977.  Separado da mulher, Priscilla, vivia isolado e deprimido. O abuso de medicamentos o fez ganhar muito peso e em suas últimas aparições, ele nem de longe lembrava o “Rei do Rock”. Sua morte até é contestada por alguns fãs mais fanáticos que afirmam que “Elvis não morreu” e que até teria sido visto circulando pelo segundo andar de Graceland..

John Lennon

 

Recordo-me quando acordei pela manhã e dei de cara com a morte de John Lennon estampada na primeira página do jornal, outros tempos em que as notícias, mesmo as mais trágicas, tinham hora para chegar. Lennon foi assassinado em 1980, em frente ao prédio que morava em Nova York, vitima de um tiro a queima-roupa disparado por um suposto fã, após ter autografado um disco para seu futuro assassino.*

*esse relato em primeira pessoa é do Renato, não sou tão velha assim.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

agosto 2017
D S T Q Q S S
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031