Balzac e a Comédia Humana em Relançamento


 

Uma das maiores tragédias de minha vida foi a morte de Lucien de Rubempré“, tal frase foi proferida por Oscar Wilde, que nem mesmo sua prisão devido a sua homossexualidade teve em sua vida a força devastadora que o destino do personagem criado por Honoré de Balzac.

O realismo com que criou o vasto painel da sociedade francesa, sendo mais que um romancista, mas acima de tudo um cronista de costumes, que soube como ninguém descrever com observações agudas de conteúdo psicológico, social e acima de tudo moral, fazem da “Comédia Humana” o mais interessante e completo inventário da vida social francesa do século XIX, retratando toda a “fauna” humana da época, seja parisiense ou seja provinciana.

Na “Comédia Humana” estão todos os tipos sociais: a amante sedutora, a cortesã, o militar, o malandro, o operário orgulhoso, o sovina, a filha ingrata, o alpinista social ou o espião destemido, aparecendo em todas as situações da vida social, como nos negócios, no casamento, nas ciências ocultas, na moda, nos salões ou na política.

O uso repetitivo de personagens em diferentes livros leva o leitor a se sentir integrante daquela sociedade descrita em sua obra. O personagem principal de um livro reaparece como coadjuvante em outro ou é apenas citado, dando ao leitor a sensação de que já tem intimidade com aquele personagem de outros tempos, de “outras viagens”.

Felizmente sua obra completa volta nesse momento a ser reeditada, pelo selo Biblioteca Azul, sendo lançados inicialmente 4 volumes nessa que é a terceira reedição no Brasil da “Comédia Humana“.

Balzac é meu escritor favorito e o relançamento da coleção será uma ótima oportunidade para fechar a lacuna que me falta na leitura de alguns de seus romances, muitos por simplesmente não tê-los encontrado, mesmo após visitas a sebos. Recordo-me de depois de ler “O Pai Goriot” e “Ilusões Perdidas” fiquei procurando como alucinado o romance “O Mistério e o Esplendor das Cortesãs”, que de certa maneira completava uma espécie de trilogia, uma tríade que considero o ponto alto de sua obra. Felizmente depois de rodar boa parte das livrarias da Zona Sul e do Centro do Rio consegui encontrá-lo na época.

Esta reedição resgata 88 romances e novelas, com organização de Paulo Rónai, que foi um dos maiores especialistas e o maior dos seus tradutores. As 88 obras estão divididas em 17 volumes.  Já se encontram nas livrarias os 4 primeiros, que reproduzem as “Cenas da Vida Privada”. Compõe esses 4 volumes:

Volume 1

A Vida de Balzac, por Paulo Rónai

Ao Chat-qui-Pelote

O Baile de Sceaux

Memórias de Duas Jovens Esposas

A Bolsa

Modesta Mignon

.

.

Volume 2

Uma Estreia na Vida

Alberto Savarus

A Vendeta

Uma Dupla Família

A Paz Conjugal

Estudo de Mulher

A Falsa Amante

Uma filha de Eva

 

Volume 3

A Mensagem

O Romeiral

A Mulher Abandonada

Honorina

A Mulher de Trinta Anos

 

 

 

Volume 4

O Pai Goriot

O Coronel Chabert

A Missa do Ateu

O Contrato de Casamento

Outro Estudo de Mulher

 

 

 

 

Os volumes 5-7 trarão as Cenas da Vida Provinciana

Os volumes  8-11 Cenas da Vida Parisiense

Volume 12 Cenas da Vida Política e Cenas da Vida Militar

Volumes 13-14 Cenas da Vida Rural

Volumes 15-17 Estudos Filosóficos

Volume 17 Estudos Analíticos


Palpites para este texto:

  1. PORQUE NÃO CONSIGO ENCONTRAR OS VOLUMES 10 E SEGUINTES DA COMÉDIA HUMANA? ESTÃO ESGOTADOS? SERÃO RELANÇADOS?

  2. POR QUÊ NÃO CONSIGO ENCONTRAR OS VOLUMES 10 E SEGUINTES DA COMÉDIA HUMANA? ESTÃO ESGOTADOS? SERÃO RELANÇADOS? SE SIM, QUANDO?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

agosto 2017
D S T Q Q S S
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031