Crítica: A Culpa é das Estrelas


 

Por Adriana Mello(@AdrianaAMello).

Esse livro foi dica da minha irmã. Ao avistar “A Culpa é das Estrelas”, ela pegou logo um exemplar e me entregou dizendo: “Você precisa ler esse livro. É lindo!!!!”.  Comprei. Li a sinopse ao chegar em casa e falei: “você está doida que vou ler esse livro! É muito triste, não dou conta disso não”.  Ela: “Vai ler sim. A maneira como ele aborda o tema não tem nada de triste. É um livro muito bonito. Você vai gostar”.  Resolvi dar uma chance.

A história gira em torno de Hazel, uma adolescente com câncer terminal. Em uma reunião de um grupo de apoio a crianças com câncer, ela conhece Augustus, um jovem bonito, bem humorado e que causará uma reviravolta na vida Hazel. Do câncer, Hazel e Gus tiraram a lição que não há tempo para lamentações, pois o tempo, principalmente o deles é curto. Hazel sonha em conhecer o escritor holandês Peter Van Houten e Gus vai ajudá-la a realizar seu sonho. Juntos, com a mãe de Hazel, ambos vão para Amsterdam, onde mora o enigmático escritor, em uma aventura contra o tempo.

O grande trunfo do livro é a maneira como a trama é narrada pelo autor. John Green consegue contar a história de uma maneira leve, bem humorada e sutil. Claro que o relacionamento de Hazel e Gus foge do comum, mas não é menor por causa disso.  Hazel sente-se livre com Gus, pois seus pais sempre viveram em sua função o que acaba sufocando Hazel.

Como nada é perfeito o livro também apresenta pontos negativos. O maior deles é que às vezes temos a impressão que algumas partes da história ficam inacabadas, não se fecham.

Mas o fato é que o livro é um estrondoso sucesso e não demorou muito para tornar-se idolatrado por muitos. Seus direitos já estão vendidos para Hollywood e será produzido pelos mesmos produtores da série “Crepúsculo”.

Quanto a mim, não chego a dizer que foi um dos melhores livros que li, mas posso dizer que foi um livro do qual gostei muito. John Green escreve muito bem e já me deixou curiosa para ler seus outros livros. Brilhante ou não, “A Culpa é das Estrelas” é um livro que nos faz parar, pensar e refletir. Uma história linda e que merece ser lida.


Palpites para este texto:

  1. Gostei muito de sua crítica. Talvez por representar em palavras o que eu mesma havia sentido e concluído (Seres humanos… sempre procurando por semelhantes!).

  2. Acredito que o livro tenha sido mais ou menos parecido com o mesmo citado na história, o de “Uma Aflição Imperial”, sem um definido término, mas, o que nos torna a acreditar que o final foi inacabado de ambos, é pelo simples fato de não ter acabado como queríamos. Amei o livro!

  3. Thaynan Lira Galhardo -

    Um presente para os fãs.
    Prepare-se para chorar. A Culpa é das Estrelas arranca nossos corações e pisa em cima. Digo isso até mesmo para quem ainda não leu o livro, pois meu marido que não leu, dizia que a história do livro era ‘clichê’, saiu com os olhos tão inchados de chorar quanto os meus.
    Ainda estou me recuperando… Mas vamos lá. O filme é muito fiel ao livro e os atores simplesmente foram possuídos pela alma dos personagens. É leve, engraçado, pesado, dramático… Todos os sentimentos que afloraram em mim lendo o livro transbordaram com o filme.
    Até mesmo o Willem Dafoe que, quando anunciado como Peter Van Houten eu detestei (pois foge da descrição física do personagem), me deu um belo tapa na cara com sua interpretação.
    Shailene Woodley e Ansel Elgort são definitivamente Gus e Hazel. Eles passam emoção e verdade até nas cenas em que nada é dito. Uma sensibilidade e competência impressionantes para atores tão jovens.
    Nat Wolff interpretou muito bem nosso querido Isaac. Trazendo-nos várias cenas hilárias e nos mostrando a faceta maléfica do John Green rs., que nos faz rir para em seguida nos fazer desidratar de tanto chorar.
    Laura Dern e Sam Trammell interpretam a mãe e o pai de Hazel, respectivamente. E os fazem tão bem, que temos vontade de rouba-los para a vida real. Eles são fantásticos.
    Adaptação de roteiro, interpretação, direção, fotografia, edição, trilha sonora… Tudo de muita qualidade.
    Quem já era fã de John Green se deliciará com este presente, e precisará de uns dias para se recuperar. E quem ainda não conhecia, não tirará essa história da cabeça por um bom tempo.
    Recomendadíssimo!

  4. só menina lê esse livro mds -_-

  5. Sinceramente, o filme é uma DROGA!

    Pouco inteligente em sua montagem e texto.

    Parece que tenta chamar os adolescentes de COMPLETOS IDIOTAS, só que, sem agredi-los tanto.

    Fui assistir devido o treiler ter demonstrado ser um bom filme. Agora, NUNCA MAIS NA MINHA VIDA eu usarei o treiler para pautar alguma medida da sétima arte.

    A única coisa que prestou no filme foi a atriz principal, pois ela me lembra muito a comediante dos EUA, Ellen Degeneres, a mesma que apresenta o Oscar. Se vc não conhece ainda, é só lembrar o que é uma SELF, e pronto, aí sim, vc vai lembrar, pois foi ela que começou essa febre toda de tirar fotos e dá RT’s no twitter. Até o corte de cabelo da atriz é parecido com o dela.

    Comecei a me questionar o seguinte: COMO UM DIRETOR TEM A CARA-DE-PAU DE PRODUZIR UM FILME TÃO IDIOTA E BABACA ASSIM?

    Daí, na própria sala de cinema, eu tive essa resposta: 3 ADOLESCENTES, CHUTAVAM A MINHA CADEIRA EM QUE EU ESTAVA SENTADO E NÃO PARAVAM DE CONVERSAR O FILME INTEIRINHO…

    Tá aí a explicação do diretor ter SE REBAIXADO TANTO pra tentar falar a mesma língua desses MESMOS ADOLESCENTES QUE DAVAM CHUTES NA MINHA POLTRONA NO CINEMA…

    Na boa?

    Acho que os adolescentes são mais inteligentes que isso. Acho até que o filme foi colocado SOMENTE pra chamar a atenção desses jovens QUE NÃO TEM NADA NA CABEÇA E CHUTAM POLTRONAS.

    SPOILER

    Atenção: IREI CONTAR PARTES DO FILME, ENTÃO, SE VC NÃO QUER SABER, CAI FORA.

    ——————————————

    O filme é tão mal feito que, o médico relata que a menina ESTÁ MUITO DOENTE E DIZ QUE ELA NÃO PODERIA VIAJAR DE AVIÃO, aí, do nada, pegamos a garota viajando….

    Na boa? Pra quê criar uma cena com esse médico falando isso então? Se ela não poderia viajar, como é que o filme faz ela viajar? Viu que IDIOTÍCE? Coisas mal explicadas.

    Outra coisa: 3 AMIGOS TACAM OVOS NUM CARRO E A DONA APARECE, SÓ QUE OS ADOLESCENTES FAZEM ELA ENTRAR PRA CASA E ELES CONTINUAM TACANDO OVOS NO CARRO? Tipo, aquela mulher é uma BANANA? É isso? Faça isso na vida real pra vc ver o que vai te acontecer !!!!

    E por último: QUE DIÁLOGOS “EMBASBACADOS” HEM??? Conversas soltas e idiotas que não tem sentido algum para nada e nem levam para lugar algum…

    Ai ai…

    Na boa? Os adolescentes que conheço, DÃO DE 10 A 0 nesses aí do filme, viu…

    Se chorei no cinema? Todos choraram. Eu me comovi umas 4 vezes. Mas tipo, ERA O ESPERADO NÉ GALERA????

    A única coisa que gostei foi a abertura, pois assim que começa o filme, a câmera é colocada para cima para mostrar as estrelas…

    Ou seja, o que salvou no filme foi a atriz e essa cena do começo, E SÓ…

    E se vocês não gostaram dessa minha crítica, eu gostaria de dizer que conheci um rapaz em que ao ler o que ele escreve, me sinto motivado, com mais opiniões, ele me surpreende de tal modo que não consigo parar de ler os seus textos. Ele é fantástico, genial e mais, ele surpreende a todos com sua inteligência e ousadia:

    SIM, ESTOU FALANDO DE MIM MESMO, SÓ QUE NA 3º PESSOA.

    • Achei bem interessante seu comentario sobre o livro ,no meu caso fui influenciada de uma forma diferente , levei para um lado diferente ,e sinceramente gostei mais do livro ,quanto a parte q vc disse sobre a viajem o livro tem todos os detalhes .
      Desde ja desculpe-me , e ao contrario do q vc escreveu acho q nem todos os adolescentes são retardados .
      sinceras desculpa .

    • QUE DOIDO KKKKKKKKKK

  6. Eu gostei bastante do livro, mesmo as vezes perdendo o interesse em lê-lo, e a´te senti um pouco de tristeza quando ele terminou e eu pensei: Ué, é so isso?

    Acredito que muitos adolescentes gostam deste livro por ser facil, com poucas paginas e romantico. Na verdade isso reflete como o jovem brasileiro é limitado para a literatura. Foi possivel ver que muitos se apaixonaram pela obra que na verdade nãoé nem um pouco boa. Não é um livro que te tire do folego e que te faça pensar: Esse escritor é um gênio.

    Para quem já leu obras de verdade, como O Hobbit até A Menina que Roubava Livros, sabe do que estou falando.

  7. Bom rebeca tenho que descorda de voce e acho que o motivo de gostarem desse livro nao e por ser facil e sim por se sensivel e delicado e ao mesmo tempo retrada um drama como o cancer mais nao limita os personagem a isso nos prova que eles sao como nos com sonhos vontades e duvidas de adolecente e isso e incrivel eu aconcelho todos a lerem

  8. Primeiramente. Gostei muito de sua critica, mais eu não gostei do livro e principalmente do filme, John Green já fez e faz romances melhores.
    Esse livro não passa de adaptação do livro UM AMOR PRA RECORDAR….
    Como você disse: “Como nada é perfeito o livro também apresenta pontos negativos”
    O Livro não tem nada a ver com o titulo….

  9. O filme e uma porcaria eu gostei so do livro

  10. Ótima crítica, falou o que pensei do livro, não é nem de longe o melhor livro que li, mas me fez pensar que devemos aproveitar os nossos dias do melhor modo possível.

  11. Thaiane Araújo -

    Acho sua crítica injusta pois o filme pode tocar várias pessoas de modo que posso os fazer entender que alguém além “deles” outras pessoas também enchergam seu mundo

  12. Definitivamente, a história nos faz refletir! Mas não só nisso, na vida como um todo… Sendo todos nós seres humanos com qualidades e defeitos, com medos e coragens com o sonho de sermos lembrados após a morte, mas também com o saber que só seremos lembrados obviamente por pessoas que estiveram junto a nós, gostando ou não! John Green nos chama atenção com palavras dificilmente usadas no dia-dia, e nos impressiona com detalhes que só os mais “detalhistas” seriam capazes de descobrir. Acho não, tenho certeza que, tudo que foi escrito naquele livro, foi com a intenção de não tocar jovens corações, com as belas partes amorosas de Hazel Grace e Augustus Waters, mas o modo com que os dois lidam com os seus dias numerados, cada um do seu jeito e ao mesmo tempo, compartilhando esse modo um com o outro! Uma história que diz ser fictícia, mas que na verdade é real dentro de um longo infinito de vidas por esse enorme mundo. Como a Esther Earl, que passou por um caminho tão complicado como de Hazel Grace e Augustus Waters, como de meu primo emprestado, como de minha tia, como de minha avó que não tive a chance de conhece-la mais que seria um prazer com diz Augustus Waters, ter meu coração partido por ela, e por outras histórias de lição de vida. Que aliás deveríamos conhecer sem medo alguem de ter câncer.

  13. Es algo totalmente banal, um livro a qual não perco um segundo do meu tempo à ler, dês de que momento o câncer és um triunfo a qual arruma-se uma “desculpinha” para apaixonar-se, há momentos horríveis correlacionado a estes. Eu tenho leucemia, vivo? Sim , claro, não es por isso que deixarei de viver, porém não és por este caso que viverei um romancezinho influenciado a minha doença. Pelo amor do Pai, es algo tão grotesco e banal, que chega-me a dar embrulho em meu estômago- respeito sim quem gostou – como todos nós somos seres humanos e temos opiniões diferentes, porém enfim, odiei.

  14. Eu paticulamente Adorei o filme. Achei ele bastante inteligênte. O filme não fica apelando para situação que ambos têm câncer e por isso precisam ser amados. tanto que Gus sai que nem um louco de um lado para o outro com Hazel. Enfim eu teria muito a dizer mas estou com preguiça para escrever. Mas minha humilde opinião é que o filme. é EXCELENTE!!!! Uma nota de 0 á 5. Humm… que tal 6
    😉

  15. muito booom

  16. Criticas online(Ester) -

    John Green conseguiu me dar uma sensação tão boa ao ler o livro e vê o filme pela primeira vez me sentir conectada com o livro a historia foi tão intensa,tão verdadeira e tão profundo acho que Hazel aprendeu com Augustus que não e porque eles tem câncer que não podem ser adolescentes normais no começo Augustus foi tão encantador que deu uma tristeza enorme por ele ter morrido e Hazel aquela garota tão diferente mais encantadora eu achei que seria um final melhor se Augustus tivesse ficado vivo e ele e hazel tivessem sobrevivido ao câncer mais talvez se Augustus não tivesse morrido teria tirado a ação do filme bem foi um dos melhores livros que eu tive o prazer de lê

  17. Se tem uma coisa que eu posso dizer desse livro é que eu chorei muito depois do capitulo 21. Não tive como me segurar mesmo sabendo o que ia acontecer com cada personagem, eu chorei como se estivesse vivendo com eles aquela historia e livros assim são os melhores de serem lidos. Eu o amei e adorei seu blog, já coloquei em meus favoritos.

    Meu blog: http://www.umcontainer.com

  18. Ótima crítica. Comentários sóbrios.

  19. otima critica gostei bastante

  20. oi obrigando por fazer este livro ,é muito legal gostei muito do livro e do filme eu chorei e ri au mesmo tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

agosto 2017
D S T Q Q S S
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031