Crítica: A Vida de Dr. Antônio Contada por Elle Mesmo


 

dr-antonio-cena-alta2-10

Por Renato Mello.

Encerrou no último fim de semana a temporada de uma das mais interessantes propostas teatrais do 1º semestre, o espetáculo “A Vida de Dr. Antônio Contada por Elle Mesmo”. Independente de não mais estar em cartaz, a sua relevância como expressão artística e a viabilidade atemporal de voltar a apresentar-se em uma diferente ambientação cria uma necessidade de deixar um registro do espetáculo apresentado.

A Vida de Dr. Antônio Contada por Elle Mesmo” é uma adaptação do livro “Memórias de um Rato de Hotel”, creditada sua autoria ao cronista João do Rio, um dos mais perspicazes observadores da cena urbana carioca do início de século XX. Inspirado(com tintas de romance) na  vida do sedutor gatuno Arthur Antunes Maciel, de alcunha Dr Antônio, cujas façanhas alarmou a sociedade carioca da época.

A direção de Cesar Augusto e a co-direção de Fabiano de Freitas, a partir da dramaturgia escrita por Felippe Vaz, estabelece uma proposta de mergulho na a essência de uma personalidade facetada, provocando ao espectador uma busca pelo desvendar dos enigmas ocultos em múltiplos seres dentro de apenas um homem provido de rara capacidade intelectual, carregando dentro de si todo um ideal anárquico, rejeitando convenções impostas para ir ao encontro de um destino que ruma por caminhos imponderáveis através do sucesso, do luxo e  da ruína físico-moral. A narrativa é propulsionada pelo diálogo entre o criador e sua criatura(João do Rio e Dr Antônio) ou como diz a própria sinopse oficial do espetáculo, a partir de “uma memória que é dos personagens, da cidade, de um tempo e de um espaço, mas que poderia ser sobre mim, sobre você ou sobre a pessoa que está ao seu lado”. Essa investigação se dá através de distintos caminhos cênicos que convergem a um fim comum, presentes de maneira mais contundente pela opção de repartir o mesmo papel protagônico por todo o elenco masculino, também na utilização das máscaras marcando todo um aspecto oculto no entorno do personagem, nos figurinos(desenhados por Antônio Guedes) concebidos de modo a uniformizar o elenco e mesmo em conclusões que possamos ter de meros simbolismos,  como o “Elle” expresso no título.

A proposta ganha contornos definitivos do seu êxito pelo acerto no modo como utiliza o espaço de um prédio simbólico da cidade, testemunha da história nacional, o Paço Imperial. O espetáculo inicia-se como uma explosão que planeja estremecer os alicerces estruturais da velha edificação da Praça XV, com os atores no andar superior ao público fazendo-se plenamente presentes pela contundência de seus gritos e batidas, deixando-se deslizar ao encontro do seu público rumo a uma encenação itinerante pelas diversas ambientações do Paço. Movendo-nos pelo espiral do tempo, cada nova sala uma revelação permite a exploração de diferentes óticas sobre as situações representadas, porém ao concentrar sua construção sobre uma dinâmica cênica, de algum modo acaba se refletindo numa diluição dramatúrgica.

dr-antonio-cena-alta2-1

O elenco formado por André Rosa, Breno Motta, Dani Cavanellas, Danilo Moraes, Felipe Frazão, Flávia Coutinho, Rômulo Chindelar, Sarah Lessa e Victor Albuquerque tem a capacidade para abarcar a proposta, guiando o público através do tempo e do espaço físico numa construção atávica e coletiva, estabelecendo permanentemente um jogo cênico entre os atores, complementando-se na composição de um único personagem compartimentado sobre o qual circundam transitoriamente os demais. Um destaque adicional para as excelentes atuações femininas, em que Dani Cavanellas, Sarah Lessa e Flávia Coutinho desenham com bastante graça e sutileza um quadro das tentações de distintos cunhos para o personagem principal. Há que ressaltar o trabalho de preparação corporal conduzido por Lu Brittes, Dani Cavanellas e Danilo Moraes, para um adequado  processo de composição dos personagens por todo o elenco, no qual comunicam-se bastante através dessa linguagem corporal.

Para pontuar a concepção cênica, dois músicos(Everson Moraes e Jonas Hocherman) com seus trombones de vara percorrem toda a narrativa, trazendo por seus instrumentos aspectos  inusitados e com tons de humor para a atmosfera, acrescentando positivamente no processo de construção do espetáculo.

dr-antonio-cena-alta2-12

Os cenários e instalações criados por Bia Junqueira ganham destaque pela composição de um retrato do tempo dramatúrgico, demonstrando igualmente bastante capacidade e plasticidade no seu conceito. A iluminação de Genilson Barbosa supera os desafios que esse tipo de representação exige, elaborando uma iluminação que se adequa com as distintas necessidades cênicas, assim como em determinadas ambientações dialoga com a proposição de Bia Junqueira.

A Vida de Dr. Antônio Contada por Elle Mesmo” possui um grande frescor e originalidade, proporcionando uma agradabilíssima peça de teatro que mereceria ganhar um espaço permanente na cena cultural do Rio de Janeiro, mesmo que não seja possível o abrigo novamente do Paço Imperial. Caberia sob medida em outros belos ambientes de nossa cidade. Mesmo que seja impertinente de minha parte e nem me cabe essa função, mas seria igualmente lindo assisti-lo na Casa de Ruy Barbosa, na Mansão Modesto Leal, ou no Palacete Linneo de Paula Machado.

dr-antonio-cena-alta2-9

A VIDA DE DR. ANTÔNIO CONTADA POR ELLE MESMO

BÉLICA CIA
ANDRÉ ROSA
BRENO MOTTA
DANI CAVANELLAS
DANILO MORAES
FELIPE FRAZÃO
FLÁVIA COUTINHO
RÔMULO CHINDELAR
SARAH LESSA
VICTOR ALBUQUERQUE

DIREÇÃO ARTÍSTICA
CESAR AUGUSTO

CO-DIREÇÃO
FABIANO DE FREITAS

DRAMATURGIA
FELIPPE VAZ

DIREÇÃO MUSICAL, CENA SONORA
& MÚSICA ORIGINAL
MURILO O’REILLY

MÚSICOS (TROMBONES)
EVERSON MORAES
JONAS HOCHERMAN
RAFAEL STEINBRUK (SUBSTITUTO)

DIREÇÃO DE ARTE & INSTALAÇÃO
BIA JUNQUEIRA

ASSISTENTE DE DIREÇÃO DE ARTE
MATI LIMA

CENOTÉCNICO
THIAGO HORTALA

TÉCNICO DE PALCO
ANDRÉ MARTINS

FIGURINO
ANTÔNIO GUEDES

ASSISTENTE DE FIGURINO
FABIANA MIMURA

CAMAREIRA
MARIA JOSÉ DE SOUZA

VISAGISMO
MARCIO MELLO

ILUMINAÇÃO
GENILSON BARBOSA

OPERAÇÃO DE LUZ
GENILSON BARBOSA
INGRID VIDAL

EQUIPE DE MONTAGEM DE LUZ
AUGUSTO CARRARA
LUCCIANO WHYTE
REGINALDO LAVINAS

PREPARAÇÃO CORPORAL
LU BRITTES
DANI CAVANELLAS
DANILO MORAES

FOTOGRAFIA ARTÍSTICA
ELISA MENDES

MARKETING
INOVA BRAND
MAURICIO TAVARES
SÉRGIO LOPES

COORDENADOR DO PROJETO
CESAR AUGUSTO

ELABORAÇÃO DO PROJETO
BRENO MOTTA
RÔMULO CHINDELAR

DIREÇÃO DE PRODUÇÃO
SIMONE VIDAL
TATY MARIA

PRODUÇÃO EXECUTIVA
MATI LIMA

ASSISTENTE DE PRODUÇÃO
MARCELA ROSÁRIO

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA
GEOVANE BARONE
SIMONE VIDAL

IDEALIZAÇÃO
BÉLICA CIA

REALIZAÇÃO
ARRASTÃO DE IDEIAS


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

dezembro 2017
D S T Q Q S S
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31