Crítica: Bridget Jones, Louca pelo Garoto


 

 

Por Adriana Mello.

Quando soube que a inglesa Helen Fielding mais um livro com Bridget Jones seria lançado, fiquei muito ansiosa e empolgada. Afinal, Bridget é um dos personagens mais divertidos que existe e seus outros dois livros são ótimos! Sabe aquele tipo de livro que não dá para parar de ler? Pois é, todos esses fatores me fizeram criar uma enorme expectativa com “Bridget Jones: Louca Pelo Garoto”, mas logo nas primeiras páginas percebi que me frustraria, pois esse nem de longe lembra os outros livros da série.

Nesse livro Bridget há 4 anos está viúva (sim, meninas, Mark Darcy está morto), com dois filhos e continua lutando contra a balança, cigarros, bebidas e doces. Após a morte do marido, a irreverente Bridget se isolou de tudo e todos. Pressionada pelos amigos, ela decide retomar sua vida social. O primeiro passo é abrir uma conta no twitter, onde conhece Roxster, um bonitão de 30 anos que deixa a cinquentona doida por ele. Como de praxe, Bridget se mete em inúmeras confusões e situações hilárias.

O que tinha tudo para dar certo, deu muito errado. Uma fórmula que parecia infalível, desandou feio. “Bridget Jones: Louca Pelo Garoto” é muito fraco. Foi uma leitura difícil e sofrida. Terminar esse livro não foi uma tarefa fácil, foi bem complicada na verdade. Situações que supostamente eram para ser engraçadas, eram apenas patéticas. O livro não tem o brilho e o humor dos dois livros anteriores da série.

Antes do lançamento do livro, Helen Fielding enfrentou uma reação furiosa dos fãs que não aceitaram a morte de Mark Darcy. Muito ameaçaram um boicote ao livro. Fielding teve que dar zilhões de entrevistas tentando justificar a morte de Darcy, mas as fãs não a perdoaram. Na minha opinião,  a autora tomou uma decisão desastrosa. Mark Darcy faz muita falta e o livro perde muito com ele. Sem ele, Bridget torna-se patética e sem graça.

A impressão que fica é que Bridget Jones já deu o que tinha que dar. A personagem perdeu o fôlego. Acho, honestamente, que Helen Fielding podia ter ficado sem essa mancha em sua carreira. “Bridget Jones: Louca Pelo Garoto” é um livro desnecessário. Uma pena.


Palpites para este texto:

  1. Me desculpe, mas discordo completamente! As pessoas ficam viúvas sim e que mal há nisso? A história sempre foi sobre as atitudes e pensamentos da personagem a respeito da vida e das diversidades, não entendo no que prejudicou o fato dela estar viúva, entendo que é mais um condição de comportamento e sentimentos que ela enfrenta de forma divertida que é e sempre foi a proposta do livro.
    Eu me divirto muito com este livro e acho que a sua crítica deve ser considerada como sua opinião pessoal e não deve ser seguida como referência.

  2. Porra!!!! Avisa que vai dar spoiler!!!! Caramba!

  3. Concordo Josie. Ela arriscou e foi realista. Eu amei e me identifiquei pois estou viúva. Achei os fãs mesquinhos. Muitos nem deram chance ao livro.
    Eu amei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

outubro 2017
D S T Q Q S S
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031