Crítica: Cássia Eller, o Musical


 

Cássia Eller 3

Por Renato Mello.

Após se apresentar por várias diversas cidades do Brasil, o espetáculo “Cássia Eller, o Musical” retorna ao Rio de Janeiro para mais uma temporada, desta vez no Teatro Leblon até o dia 27 de março.

Com direção de João Fonseca e Viniciús Arneiro, “Cássia Eller, o Musical”, traz aos palcos a obra e vida da cantora desde seus primeiros passos artísticos até o auge de uma carreira inacabada por uma morte em idade precoce, buscando realizar um entendimento de seu universo pessoal através de suas parcerias afetivas e musicais.

É um musical potente, porém que não está imune a problemas e algumas questões que não ficaram bem resolvidas.

Seu maior problema reside na estrutura dramatúrgica. Patrícia Andrade tem colecionado sucessos desde que se debruçou sobre um filão, juntamente com Nelson Motta(embora no caso de “Cássia Eller” assine sozinha o roteiro), ao levar para o palco a vida, obra e dramas de ícones da música nacional. Assim foi com “Tim Maia – Vale Tudo”, “S’Imbora”, “Elis, a Musical”. Em todos esses casos citados, incluindo o atual espetáculo, Patrícia Andrade parece desenvolver seus roteiros como receitas de bolo, dando pouca importância a uma construção narrativa sólida, procurando se apoiar nas personalidades marcantes dos biografados, suas músicas de sucesso e com a sorte(ou competência) de sempre terem encontrado protagonistas que souberam viver intensamente seus personagens. A ideia de se trabalhar com essa vertente dentro do teatro musical brasileiro não tem absolutamente nada de condenável, porém a partir do momento que se opta propositalmente pela obviedade, empobrece o processo.

Linear, cronológico, com os personagens narrando o que está claro para o espectador e delineando caricaturalmente alguns personagens. Assim como busca caminhos já batidos na busca por extrair algum tipo de sentimentalismo, como por exemplo utilizar-se dos potentes versos de “Je Ne Regrette Rien” para o balanço de uma vida complexa e intensa já pode ser considerado um chavão, independente de Cássia efetivamente ter registrado esse clássico de Piaf.

Cássia Eller 2

O teatro musical tem suas peculiaridades que conseguem se sobrepor a um roteiro fraco e mesmo assim fazer de “Cassia Eller, o Musical” um espetáculo agradável, independente se um diretor tão inventivo como João Fonseca, em conjunto com Viniciús Arneiro, não tenha aplicado na prática toda sua notória capacidade, com resoluções simples, optando por uma construção cênica sem ambições que se baseia na entrada e saída de cadeiras, mantendo seus atores em cena à margem dos acontecimentos. Porém tem a virtude de extrair do seu elenco boas atuações.

Não há como deixar de admirar a ótima interpretação de Tacy Campos como Cássia Eller, desenvolvendo com verdade seu personagem através de gestos, olhares, no modo de cantar, na construção física, em pequenos detalhes que compõem uma bela atuação.  O elenco que ladeia Tacy demonstra qualidades, com destaque para as atuações de Eline Porto e Evelyn Castro. Eline Porto tem atuação segura como Claudia e de modo mais relevante, Eugênia. Boa presença cênica e com muito boa qualidade vocal por parte de Eline. Evelyn Castro(Nanci Eller e Marilu) é  uma atriz com forte presença de palco, explora bem as zonas do humor e tem bom domínio vocal. O elenco se completa com Thainá Gallo, Jana Figarella, Emerson Espíndola e Jandir Ferrari(que foi substituído na noite em que estive presente) com atuações corretas e dentro das necessidades dos diversos personagens interpretados.

A direção musical de Lan Lanh é extremamente consistente, tendo papel relevante na concepção da atmosfera do espetáculo e na exposição de uma efetiva representação de Cássia Eller, através  de uma banda vigorosa que pontua com grande competência a vida de Cássia Eller, formada por Felipe Caneca(piano), Diogo Viola(guitarra, violão e bandolim), Pedro Coelho(baixista), Maurício Braga(bateria) e Fernando Caneca(violonista), tocando com a força necessária todo o ecletismo que marcou a trajetória da cantora, com músicas que iam de Legião Urbana, passando por Jacques Brel, Beatles, João do Valle, Cazuza, Nando Reis, entre outros.

A cenografia de Nello Marrese e Natália Lana opta pela neutralidade e por uma tonalidade escura, com pobreza em sua concepção e a utilização de pouquíssimos elementos para a composição da ambientação.

 Os figurinos de Marília Carneiro e Lydia Quintaes de acordo com a necessidade cênica e com a construção dos personagens.

A obra deixada por Cássia Eller tem responsabilidade direta se mesmo diante das deficiências da montagem, ainda assim é possível sair do teatro com um gosto de satisfação.

Cássia Eller 1 (1)

Fotos: Marcos Hermes

Elenco e personagens
Tacy de Campos (Cássia Eller)
Eline Porto (Cláudia/Eugênia)
Emerson Espíndola (Ronaldo/Marcelo Saback/Elder/Executivo/Nando Reis),
Evelyn Castro/ Juliane Bodini (Nanci Eller/Ana),
Jana Figarella (Rúbia/Dora/Cássia Eller)
Jandir Ferrari (Altair Eller/ Oswaldo Montenegro/ Violonista/ Empresário/ Guto/ Fernando Nunes),
Thainá Gallo (Moema/Lan Lan)
Juliane Bodini (Stand By de Evelyn Castro)

Ficha Técnica

Texto: Patrícia Andrade. Direção: João Fonseca e Viniciús Arneiro. Direção De Produção: Gustavo Nunes. Direção Musical: Lan Lan. Codireção Musical: Fernando Nunes. Elenco (ordem alfabética) – Eline Porto (Claudia / Eugênia), Emerson Espíndola(Ronaldo / Marcelo Saback / Elder / Executivo / Nando Reis), Evelyn Castro/ Juliane Bodini (Nanci (mãe) / Ana), Jana Figarella (Rúbia / Dora), Jandir Ferrari (Altair Eller / Oswaldo Montenegro / Violonista / Empresário / Guto / Fernando Nunes), Tacy de Campos (Cássia Eller) e Thainá Gallo (Moema / Lan Lan). Banda – Pianista: Felipe Caneca. Baixista: Pedro Coelho. Guitarrista: Diogo Viola. Baterista: Mauricio Braga.Violonista: Fernando Caneca. Direção De Movimento: Márcia Rubin. Figurinista: Marília Carneiro E Lydia Quintaes. Cenógrafo: Nello Marrese E Natália Lana. Visagismo: Beto Carramanhos. Design De Luz: Maneco Quinderé. Cenotécnico: André Salles E Equipe. Designer E Engenheiro De Som: Sound Designer. Operação de som: João Paulo Pereira. Preparador Elenco (Tacy De Campos): Ana Paula Bouzas. Produtora De Elenco: Cibele Santa Cruz.Pesquisadora: Barbara Duvivier. Fotógrafo: Marcos Hermes. Assistência De Direção: João Pedro Madureira. Assistência De Direção De Movimento: Luar Maria.Representante Do Espólio Da Família Da Cássia Eller: Rodrigo Garcia. Produção Executiva: Deborah Aguiar. Equipe MusicalPreparação Vocal: Marco Dantonio.Pianista Ensaiador: Felipe Caneca. Idealização: Gustavo Nunes. Uma Produção Turbilhão De Ideias Entretenimento.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930