Crítica: Filhote de Cruz-Credo


 
João Lucas Romero, Eduardo Katz e Priscila Assum. Foto Chico Lima

Foto: Chico Lima

Por Renato Mello.

Em Cartaz para uma temporada até o dia 25 de setembro no Oi Futuro do Flamengo, o espetáculo “Filhote de Cruz-Credo” leva ao universo do teatro infanto-juvenil uma competente adaptação da obra homônima do escritor Fabrício Carpinejar.

Dirigido por Isaac Bernat, “Filhote de Cruz-Credo” conta uma história baseada na experiência pessoal de Carpinejar. O protagonista Fabricio(Eduardo Katz), devido ao seu aspecto físico convive com os mais pejorativos apelidos que afetam diretamente sua personalidade e sensibilidade. A partir do momento que descobre no humor uma arma de defesa, se abre uma nova perspectiva de enfrentar os preconceitos que a vida social lhe desafia.

O processo de adaptação coube inicialmente a Bob Bahlis, com readaptação assinada por Eduardo Katz, que tem a capacidade de abordar uma temática que carrega uma contundência embutida numa narrativa leve e fluída, com capacidade de apontar uma curva dramática bem definida em todo o processo da busca da autoestima pelo protagonista através de uma estrutura psicológica bem alinhavada.

A direção de Isaac Bernat realiza boas transições e encontra soluções para alguns desafios narrativos sem perder a dinâmica cênica, mesmo com as diversas trocas de personagens por parte do elenco. Explora com bastante êxito os aspectos do humor que possibilitam ao espetáculo encontrar um importante canal de comunicação com o público. A inserção de canções de Erasmo Carlos contribui bastante para o preenchimento dramatúrgico e tem um dimensionamento em cena que se revela bastante harmônico.

Foto: Chico Lima

Foto: Chico Lima

Há que dar importante destaque para o elenco formado por Eduardo Katz, Priscila Assum e João Lucas Romero. Eduardo Katz interpreta o personagem central, realizando um bom trabalho tanto no aspecto corporal como na composição física do seu personagem, sendo necessário destacar o ótimo visagismo de Mona Magalhães em contribuição direta ao resultado final da atuação de Katz. Priscila Assum demonstra grande empatia, personalidade, capacidade de comunicação e domínio de cena. Uma atuação de Priscila que além da eficiência, releva-se adorável. João Lucas Romero, um ator que admiro demais pelos seus trabalhos no teatro infantil, como “Bisa Bia, Bisa Bel” e “A Lenda do Vale da Lua”. João Lucas é um ator de múltiplos recursos que mesmo sem exercer um papel de protagonista, capacita um equilíbrio cênico e uma base de sustentação para o restante do elenco, que no caso da dramaturgia de “Filhote de Cruz-Credo”, sua presença mostra-se extremamente feliz, desempenhando um bom trabalho corporal, com expressividade, para não falarmos de sua qualidade como músico.

A direção musical de Charles Kahn desempenha um papel de destaque no resultado final, dialogando positivamente com a dramaturgia. O cenário de Doris Rollemberg brinca com as formas, criando um belo mosaico que se incorpora com eficiência às necessidades apresentadas. Assim como o figurino de Desirée Bastos que se apresentam bem contextualizados.

Filhote de Cruz-Credo” trata com leveza, beleza e humor uma discussão importante, sobre uma questão que em muitos casos afeta silenciosamente autoestima do público alvo do espetáculo.

Foto: Chico Lima

Foto: Chico Lima

Ficha Técnica:
Baseado na obra homônima de Fabrício Carpinejar
Primeira adaptação: Bob Bahlis
Idealização e readaptação: Eduardo Katz
Direção: Isaac Bernat
Assistente de direção: Kika Werner
Elenco: Eduardo Katz, Priscila Assum e João Lucas Romero.
Cenário: Doris Rollemberg
Figurino: Desirée Bastos
Visagismo: Mona Magalhães
Direção musical: Charles Kahn
Diretor de Movimento: Michel Robim
Iluminação: Aurélio de Simoni
Direção de Produção: Jenny Mezencio
Realização: Eduardo Katz

SERVIÇO:
Filhote de Cruz-credo – A Triste História Alegre de Meus Apelidos
Local: Oi Futuro (R. Dois de Dezembro, 63 – Flamengo)
Telefone: (21) 3131-3060
Dias e horários: sábado e domingo, às 16h
Preço: R$10 (meia) e R$20 (inteira)
Lotação do teatro: 63 lugares
Duração: 1 hora
Classificação indicativa: livre
Funcionamento da bilheteria: De terça a domingo, das 14h às 20h.
Ingressos à venda: www.ingresso.com
Temporada: de 10 de julho a 25 de setembro

Assessoria de Comunicação
Rachel Almeida: racca.almeida@gmail.com
Viviane Cabral: assessoriavivicabral@gmail.com


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930