Crítica Teatro Infantil: Presente de Aniversário


 
Foto: Renato Mangolin

Foto: Renato Mangolin

Por Renato Mello

Quando escrevi anteriormente sobre o trabalho do grupo Os Tapetes Contadores de Histórias, “Shtim Shlim – O Sonho de um Aprendiz”, terminei o texto desejoso pela próxima oportunidade de “assistir novas aventuras em algum longínquo canto deste planeta”.

Passados 2 anos e meio, chegou a hora! “Presente de Aniversário”, novo espetáculo dos Tapetes Contadores de Histórias se apresenta no Teatro Candido Mendes, Ipanema, somente até o próximo fim de semana, 27 de agosto, desta vez sob direção de Cleiton Echeveste.

Entendo não caber comparações, até porque são conceituações bem distintas dentro de uma mesma proposta de contação de história, em que “Shtim Shlim” se desenhava como uma grande instalação performática, enquanto “Presente de Aniversário” constrói uma diferente ponte de comunicação com seu público, de forma talvez mais fragmentada, mas que ao preenchermos um mosaico emocional que absorvemos em sua apresentação, podemos perceber uma mensagem sobre a afetividade e a importância que habita nos mais simples aspectos da vida.

Como aponta sua própria sinopse oficial, três homens buscam um lugar e pessoas para oferecer uma festa de aniversário… a partir de histórias e perguntas, o trio formado por Cadu Cinelli, Edison Mego e Warley Goulart conduz o público para a tão esperada comemoração…”.

Foto: Renato Mangolin

Foto: Renato Mangolin

Para se identificar com uma história, mais que sua própria narrativa, a forma como se conta talvez seja o fio condutor mais fluído para atingir a sensibilidade de quem se dispõe a entrar em seu universo. Justamente o que Os Tapetes Contadores de Histórias tem de mais precioso em seu processo de contação, que com elementos singelos consegue criar uma ambientação onírica com poder de encantamento. Em “Presente de Aniversário” isso se dá permanentemente e com uma potente capacidade de alcance. Na primeira história, sobre o mito de Daméter, que descreve a noção do ciclo das estações e a passagem do tempo, um poncho com diferentes compartimentos ocultos é o principal elemento cênico para desenvolver a narrativa. Já no conto do “Rei Midas” um pergaminho com vários quadros que se sucedem é o instrumento que narra a história do rei que desejoso por transformar tudo em ouro pelo poder do seu toque. Em “João Esperto Leva o presente Certo”, a história que alcança um maior impacto emocional junto à plateia, cada progressão do protagonista se transforma em uma das camadas de um bolo de festa. Por último, no conto russo “Vassalisa”, a narrativa de um presente recebido por uma criança, servindo de amuleto para o enfrentamento dos desafios futuros é feita através de caixas de diferentes tamanhos, saindo umas das outras.

Cleiton Echeveste, assume a direção deste novo trabalho d’“Os Tapetes Contadores de Histórias”, retribuindo o processo que Cadu Cinelli desenvolveu no  último espetáculo da Pandorga Cia de Teatro(de Cleiton Echeveste), para “Juvenal, Pita e o Velocípede”. Echeveste consegue explorar com habilidade as qualidades desenvolvidas nos 19 anos de trajetória do grupo, encontrando boas soluções cênicas para o sempre desafiante Teatro Candido Mendes, com suas limitações físicas (já vi muito espetáculo se afundar ali por incapacidade de transpor sua assimetria), e permitindo uma contínua dinâmica que mantém avivadas todas as virtudes que norteiam o percurso dos atores do Tapetes, Cadu Cinelli, Edison Mego e Warley Goulart, que em interação, total domínio das ações e da atenção do seu público(sempre um desafio nesse tipo de proposta), derramam pela cena um estilo único de contar fantasiosas histórias de mundos tão distantes.

Em tempos de um consumo tão descartável mesmo para o teatro infantil, o trabalho d’Os Tapetes Contadores de Histórias assenta-nos de forma que, adultos ou crianças, consigamos momentos de reflexão para nos permitirmos “sentir o espetáculo”, emoções emanadas, oriundas de uma simplicidade florescente a partir das camadas de nobreza que sustentam seus gestos.

Foto: Renato Mangolin

Foto: Renato Mangolin

FICHA TÉCNICA
Texto: Os Tapetes Contadores de Histórias
Direção: Cleiton Echeveste

Atores: Cadu Cinelli, Edison Mego e Warley Goulart

Cenário, Figurino e Sonoplastia: Cadu Cinelli, Edison Mego e Warley Goulart
Iluminação: Rodrigo Menezes
Assistente de Direção: Eduardo Almeida
Assistente de Cenografia: Manoel Gonçalves
Assistente de Produção: Rosana Reátegui
Fotos: Renato Mangolin
Produção: Caleidoscópio Cultural
Realização: Os Tapetes Contadores de Histórias

SERVIÇO: Presente de Aniversário
Estreia: 5 de agosto de 2017.
Temporada: De 5 a 27 de agosto de 2017.
Horário: sábado e domingo, às 16h.
Local: Teatro Candido Mendes.
Endereço: Rua Joana Angélica, 63, Ipanema.
Informações: (21) 2523-3663.
Capacidade: 104 lugares.
Duração: 70 minutos.
Classificação etária: Livre (indicado para crianças a partir de 7 anos).
Gênero: Infantojuvenil.
Ingressos: R$40 (inteira) e R$20 (meia-entrada).

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930