Crítica: Tese Sobre um Homicídio


 

 

Uma língua maledicente poderia dizer que “Tese Sobre um Homícidio” nada mais é do que uma espécie de “O Segredo dos Seus Olhos” wanna be. Talvez numa visão mais superficial, afinal ambos são produções argentinas, são um suspense psicológico tendo o universo forense como pano de fundo e acima de tudo, ambos são protagonizados por Ricardo Darín. Mas as semelhanças terminam por aí, porque têm construções narrativas e focos diferentes. Isso sem contar que apesar de “Tese Sobre um Homicídio” ser um filme bem interessante, ainda assim é inferior a “O Segredo dos Seus Olhos”  e terminemos por aqui as comparações.

Dirigido por Hernán Goldfrid  e adaptado do livro homônimo de Diego Paszkowski, “Tese Sobre um Homicídio” tem Ricardo Darín vivendo o professor de direito Roberto Bermúdez, intimo do circulo  investigativo da polícia de Buenos Aires, é acima de tudo um solitário com fugazes relações com mulheres. Durante uma aula do seu curso de pós graduação, Bermúdez e seus alunos observam da janela da sala de aula a perícia de um assassinato que acabara de ocorrer em frente da universidade. A certeza de que o responsável pelo crime é um aluno do seu curso, o misterioso Gonzalo(Alberto Ammann) deixa Bermúdez obcecado pelo caso, sendo capaz de atos extremos para provar que sua tese está correta.

Goldfrid cria um clima noir para levar adiante sua intricada trama, num roteiro bem desenvolvido e que em nenhum momento subestima a inteligência do espectador, não dando nada pronto. Porém falta uma maior força para que o filme tenha um certo impacto e derrapa quando tenta mostrar um pretenso aprofundamento no conceito da filosofia jurídica. Houve um certo momento que pensei que o filme fosse seguir toda cartilha típica desse gênero de filme, tudo parecia levar para esse caminho, mas nesse aspecto conseguiu surpreender na sua parte final.

 As atuações estão corretas. Se não há grandes brilhos, também não comprometem, principalmente Darín que aparece em cena como Darín, com sua personalidade marcante e seu carisma, mas acima de tudo como Darín. Talvez tenha faltado apenas uma maior ambiguidade por parte Alberto Ammann para que o filme fosse um pouco mais além.

“Tese Sobre um Homicídio” foi um enorme êxito de bilheteria na Argentina, levando mais de 1 milhão de espectadores no cinema(um número excepcional para o mercado argentino). É um bom filme é um bom exemplo de que mesmo quando não é brilhante, conseguem fazer filmes de porte mediano com um ótimo grau de qualidade, ao contrário do que ocorre atualmente no cinema brasileiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

agosto 2017
D S T Q Q S S
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031