Crítica: Tudo o Que Há Flora


 
Foto: Paulo Henrique Costa Blanca

Foto: Paulo Henrique Costa Blanca

Por Renato Mello

Seguramente um dos mais surpreendentes espetáculos teatrais da atual temporada teatral, “Tudo o que Há Flora” seguirá em cartaz no Teatro III do CCBB até o próximo dia 24. Trata-se do primeiro projeto apresentado pela Nossa! Cia. de Atores e conta com direção de Daniel Herz.

Aparenta um aspecto prosaico em suas linhas gerais, conforme pode ser depreendido por uma leitura superficial de sua sinopse oficial apresentando um personagem feminino, Flora(Leila Savary), que “espera ansiosamente a chegada do marido para o almoço. A fixação por arroz faz com que o cardápio da casa seja monotemático. Quando não é dia do tradicional arroz de forno, as opções variam entre o arroz à piamontese, o arroz com feijão e o arroz de pato. A demora do marido ainda traz à tona aquela ingênua ansiedade. Nada como os privilégios de um casal apaixonado”.

Porém a principal virtude do espetáculo reside na construção de um jogo dramatúrgico que propositalmente embaça uma compreensão simplista para compor um quadro em que as peças não se encaixam e escapa ao senso comum. A autora Luiza Prado demonstra ter o completo domínio do tempo narrativo para moldar com habilidade uma gradual consistência, deixando o espectador numa posição de permanente descoberta e impossibilitando-o a qualquer tipo de acomodação.

Os elementos estruturais da dramaturgia de Luiza Prado flertam diretamente com o teatro do absurdo ao conceber um tratamento insólito para as camadas submersas da essência humana, com momentos cômicos invadindo zonas trágicas, personagens atavicamente presos em seus fantasmas pessoais, utilização de jogos de palavras em seus diálogos e situações de puro nonsense. De alguma maneira, ainda que sutil, podemos localizar uma atmosfera rodrigueana no delineamento de uma situação trágica em que os personagens acabam por se deparar com seus precipícios interiores.

Embora o ótimo texto possibilite uma base de rara solidez para um preenchimento cênico a partir de  nítido processo autoral, percebe-se a abertura para uma intervenção coletiva em que os diferentes segmentos de um espetáculo teatral impuseram matizes definitivos à obra, contribuindo decisivamente para a confecção do resultado apresentado.

A concepção cênica de Daniel Herz é primordial para a propulsão ao êxito artístico alcançado, juntamente com a proposição cenográfica de Fernando Mello da Costa, que se sobrepõem compassadamente um ao outro. Daniel Herz aprisiona sua encenação em patamar 1m acima do piso do teatro num tabuleiro com 9m². São dois níveis contraditórios, interligados por 3 buracos, em que o piso superior se apresenta harmônico e o inferior caótico, representando uma grande metáfora do estado emocional de Flora com sua mania de limpeza contrapondo-se com todo o desarranjo oculto em seu interior.  São nesses níveis que os personagens (des)equilibram-se, concentrando as ações ao afloramento abrupto das revelações.

tudo o que há flora 1

Cenário composto por Fernando Mello da Costa. Foto: Paulo Henrique Costa Blanca

Leila Savary. Foto: Paulo Henrique Costa Blanca

Leila Savary. Foto: Paulo Henrique Costa Blanca

O elenco é formado pelos 3 integrantes da Nossa! Cia de Atores,  Leila Savary, Lucas Drummond Thiago Marinho acrescido da presença de Jorge Medina como ator convidado. Estabelecem uma cumplicidade particular pela significação do rastilho de pistas despejadas pela dramaturgia. Daniel Herz desenha uma movimentação que parece brincar com o insólito a partir de marcações muito precisas, com importante colaboração da supervisão de movimentos de Janice Botelho. Leila Savary demonstra excelente trabalho de composição, utilizando com desenvoltura um trabalho corporal e criando uma modulação vocal particular, por vezes soando em falsete, que produz um resultado encantador e sem perder a profundidade de seu personagem. Lucas Drummond e Thiago Marinho realizam um movimento de dualidade, apoiando-se mutuamente quase que numa coreografia, que apesar de inicialmente antagônicos acabam por rumar para um mesmo desfiladeiro emocional. Jorge Medina conduz com sutileza um percurso subdividido para se decifrar sua real intenção, resultando numa atuação bastante consistente.

A iluminação de Aurélio de Simoni elabora uma luz inicialmente neutra, mas a partir do tensionamento da ambientação ganha contornos difusos que amparam belos quadros cênicos compostos por Daniel Herz. Os figurinos de Antônio Guedes brincam com a tonalidade das cores utilizadas, com os recortes e formas, realçando as características de cada personagem.

Tudo o que Há Flora” apresenta uma dramaturga que embora jovem demonstra grande maturidade artística com um texto complexo, profundo, perturbador e  original que nas mãos de um diretor experiente e criativo como Daniel Herz,  gera uma maravilhosa experiência teatral.

tudo o que há flora 5

Foto: Paulo Henrique Costa Blanca

FICHA TÉCNICA:
Tudo o que há Flora
Texto: Luiza Prado
Direção: Daniel Herz
Elenco: Leila Savary, Lucas Drummond e Thiago Marinho
Ator convidado: Jorge Medina
Produção: Palavra Z Produções Culturais
Co-produção: Raposo Produções
Direção de Produção: Bruno Mariozz
Figurino: Antônio Guedes
Cenário: Fernando Mello da Costa
Iluminação: Aurélio de Simoni
Trilha Sonora: Pablo Paleologo
Supervisão de Movimento: Janice Botelho
Visagismo: Talita Bildeman
Fotografia e Vídeo: Paulo Henrique Costa Blanca
Idealização: Nossa! Cia. de Atores

SERVIÇO:
Temporada: de 17 de junho a 24 de julho de 2016
Horários: de quinta a domingo, às 19h30
Ingresso: R$ 20,00 – inteira
R$ 10,00 – Funcionários e clientes do BB, estudante, sênior acima de 60 anos, professor, PNE e usuários dos convênios Cartão Metrô recarregável, SESC, clube de assinantes O Globo, PUC e Clasp pagam meia-entrada, mediante apresentação de documento comprobatório.

Bilheteria: de quarta a segunda, de 9h às 21h
Vendas online: www.ingressorapido.com.br
Duração: 60min
Capacidade: 86 lugares
Classificação indicativa: 12 anos
Local: CCBB RJ – Teatro III
Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Tel: (21) 3808-2020
ccbbrio@bb.com.br
Acesso para portadores de necessidades especiais

Informações para a imprensa:
Leila Grimming
leilagrimming.imprensa@gmail.com

Assessoria de imprensa do CCBB Rio
Bianca Mello
biancamello@bb.com.br


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

outubro 2017
D S T Q Q S S
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031