Crítica: Yentl em Concerto


 

chamadas_de-2_yentl

Por Renato Mello.

O Midrash Centro Cultural no Leblon apresenta nas suas noites de quinta-feira o espetáculo “Yentl em Concerto”, apresentado por Alessandra Maestrini em companhia do pianista João Carlos Coutinho e que devido ao enorme sucesso teve a temporada prorrogada até 18 junho.

Durante certa de 70 minutos Alessandra Maestrini narra e canta a história escrita por Isaac Bashevis Singer sobre uma menina do século XIX que ao se ver impedida de estudar pelo fato de ser mulher, se traveste de homem para prosseguir com seu desejo. Porém acaba por se apaixonar por “outro” homem e em razão desse sentimento acaba envolvida numa série de situações complexas e inusitadas, num texto que tem um profundo questionamento sobre a sexualidade e uma série de padrões impostos pela sociedade.

Numa recente entrevista que nos foi concedida, Alessandra contou como desenvolveu esse projeto: “A ideia inicial seria ter um pocket para captar patrocínio para algo maior. O resultado superou as expectativas de tal maneira que o público, ciente deste desejo, pediu independente de alguma megaprodução futura, se mantenha esse diálogo mais intimista, que nos permite mergulhar mais a fundo na obra e nas questões que ela aborda…e que eu abordo ao longo da apresentação. Agradeci e cedi à solicitação pois senti o mesmo”.

A palavra “intimista”, citada por Alessandra pode ser uma boa definição do espírito da apresentação, mas a qualidade e o modo como se desenvolve “Yentl em Concerto” permite uma maior amplidão para expor o que é apresentado. A reduzida sala do Midrash para uma quantidade limitada de espectadores deixa-nos com uma sensação de que temos Alessandra Maestrini fazendo uma apresentação particular na sala de nossa casa, numa total intimidade e com uma espontaneidade adorável. Alessandra com um humor e uma fluência narrativa encantadoras deixa o público absorver cada palavra pronunciada, do início ao fim, abrindo espaço para o improviso e para uma interação com a plateia, que mesmo nos momentos em que sai da linha narrativa traçada é capaz de voltar sem perder o fio narrativo, introduzindo alguns(leigos como eu) na cultura judaica, descontraindo e deixando grande leveza na atmosfera da sala.

Lógico que já tive a oportunidade de ver Alessandra Maestrini em diversos espetáculos e situações, em que seu talento e capacidade jamais foram minimamente colocados em dúvida. Porém a situação e exposição agora é diferente, não há outros companheiros de cena repartindo as atenções. O foco é um só: no centro da sala Alessandra irradia uma personalidade e carisma únicos, com uma capacidade de quase que hipnotizar a plateia que não se deixa perder uma palavra ou gesto emitidos. Ao cantar as letras de Alan e Merilyn Bergman, musicadas por Michel Legrand leva um êxtase ao público com uma capacidade vocal impressionante, parecendo que brinca com sua voz levando-a para aonde bem quiser e sem jamais sair da emoção solicitada pela música executada, entrando no personagem e na cena que está sendo narrada, através de um cantar límpido, cristalino, com uma pronúncia e dicção perfeitas com que emite cada verso, mantendo um olhar firme, forte e com uma enorme capacidade de comunicação.

Ao longo da apresentação a atriz vai se utilizando do figurino como elemento importante para transmitir sua história, com o mesmo se transformando em virtude das necessidades da narrativa. Além de bom gosto e interessante funcionalidade, contribui para Alessandra  desenvolver sua história e vivenciar as emoções de Yentl.

Numa total sintonia com a proposta, o excelente pianista João Carlos Coutinho embarca na “viagem”, parecendo brincar ludicamente com seu instrumento, acariciando os teclados e igualmente parecendo se divertir numa sintonia perfeita entre piano e voz.

Yentl em Concerto” proporcionou-me uma noite inesquecível, surpreendente e de enorme prazer.

Yentl em Concerto
Músicas de Michel Legrand
Direção Musical e ao piano João Carlos Coutinho
Produção: Jorge Elali Produções
Realização: Maestrini Produções

SERVIÇO:
Midrash Centro Cultural – Rua General Venâncio Flores, 184, Leblon. Tel: 2239-1800
Quando: Quintas-feiras, às 21h. Até 18 de junho.
Valor: R$ 60,00
Duração: 70 min
Classificação: 12 anos
Site: http://www.midrash.org.br


Palpites para este texto:

  1. SOU SUSPEITA PARA DIZER QUALQUER COISA, RENATO, MAS SOU OBRIGADA A ASSINAR EMBAIXO DE TUDO QUE VOCÊ ASSEVEROU AQUI.ALESSANDRA MAESTRINI É TUDO ISSO E MAIS. É SÓ SEGUIR SEUS PASSOS E SUAS PERFORMANCES. UM TALENTO NATO A CADA DIA MAIS E MAIS APRIMORADO COM DEDICAÇ~~AO E COMPREENS~~AO DA BELEZA EM TODAS AS SUAS CAMADAS. UM BEIJO GRANDE. NOÊMIA MAESTRINI, MAMMA OWL!

    • Noêmia, um prazer ler seu comentário. Em “Yentl em Concerto” a Alessandra demosntra porque é um dos maiores nomes do cenário teatral brasleiro. Não há nenhum elemento para distrair nossa atenção, é apenas ela e nós, aonde domina inteiramente o cenário e encanta com sua voz, carisma e grande humor. Foi muito lindo!

      • Noêmia Maestrini -

        vou repetir o que disse anterior. vc tem todas as´razões do mundo, e está certíssimo! É isso mesmo! Obrigada por suas observações tão pertinentes. Um abraço.

  2. Izaias Zylberglejd -

    Alessandra é, realmente, uma figura ímpar nos palcos e TV brasileiros. Seu talento para mim é digno de uma artista de potencial internacional, já tendo dado provas de de sua magnífica versatilidade. Estou certo de que, devidamente aproveitada, terá um reconhecimento mundial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930