Crítica: Zizi Possi – Piano e Voz


 

 

Zizi Possi passou por todas as experiências possíveis que uma cantora pode ter durante seus mais de 30 anos de carreira. Despontou como a “cantora do momento” nos anos 70, apelou para as fórmulas fáceis e atingiu o êxito comercial nos anos 80, conheceu o descaso das gravadoras e o obscurantismo em meados dos anos 90. Foi redescoberta pela imprensa carioca num pequenino show no extinto Jazzmania e ressurgiu das cinzas com um repertório sofisticadíssimo e inovador. Voltou a conhecer o sabor do sucesso popular ao buscar suas origens italianas na virada do século e após tantos altos e baixos colecionou um repertório de tal amplitude e um conhecimento tão profundo de seu ofício que hoje não depende mais dos humores da mídia e nem de gravadoras para lotar qualquer teatro do país.

Passar uma noite vendo Zizi Possi sobre um palco é uma sensação de extremo prazer para qualquer amante da boa música e deveria ser obrigatório para qualquer um que almeje um dia abraçar a carreira musical. Essa oportunidade foi disponibilizada para quem foi na noite da última 2ª feira, 20 de maio, no Theatro Net Rio(o Thereza Rachel) para assistir ao show “Zizi Possi, Piano e Voz”.

Zizi mostra que para ser uma grande cantora não basta ter uma grande voz. Cantores com grande voz encontramos 10 em cada quarteirão. O que difere as grandes cantoras das cantoras comuns não é sua técnica vocal e nem a extensão de sua voz, mas coisas simples e por vezes inatingíveis para os normais, como carisma, presença, domínio de palco. Isso é Zizi! Não é preciso atingir as notas mais altas com agudos infindáveis, nem uma mega produção com telões, orquestras, canhões de luz, cenários nababescos. Basta ali, no centro Zizi acompanhada de seu pianista, Jetther Garotti Junior, com sua linda voz e seu gestual simples para encantar e emocionar os mais de 600 espectadores que lotavam o histórico teatro de Copacabana.

Transbordava simpatia e elegância, num repertório eclético e de enorme qualidade, que ia de Chico Buarque e Edu Lobo, passando por Salgado Maranhão, Arnaldo Antunes, Herbert Vianna, Gonzaguinha e até Mercedes Sosa, entre outros tantos. Impossível não se emocionar com sua interpretação de “Pedaço de Mim”, sua releitura única “Meu Erro”, “Viver, Amar, Valeu” e “Eu Velejava em Você”, pela primeira vez num show cantava “Circo Místico”, música que ela imortalizou na gravação original do “Grande Circo Místico”. Lógico que alguns dos seus grandes hits estavam presentes “Caminhos de Sol”, “Per Amore” e lógico: “Asa Morena”, que levou o público ao delírio(e eu achava que só eu amava essa música).

Teve o bom gosto de deixar de fora alguns sucessos de sua fase mais comercial(fase que ela mesmo admite suas escolhas equivocadas), como “Perigo” ou “Começo Meio e Fim”.

Ainda assim senti falta de “A Paz” e “Meu Amigo, Meu Herói”.

Recém saída de um grave problema de saúde, Zizi Possi está de volta, não para desfilar pela mídia, pelas baixarias de Faustões, Gugus e afins, mas para quem simplesmente quer achar a paz e a beleza diante de uma intérprete tão encantadora. Tanto encanto que um espectador mais ousado não resistiu e lhe soltou: “Zizi, você está um pitéu!”.

* O video acima foi compartilhado do Youtube, através de algum espectador também presente na noite de 20/05.


Palpites para este texto:

  1. Claudia Esposito -

    Excelente observação que Zizi não é para desfilar em Faustões ou Gugus da vida… está num patamar muito superior que não visa aparecer mostrando o corpo ou cantando músicas cheia de palavrões ou baixaria. Essa voz é para deliciar nossos ouvidos com o que há de melhor…

  2. Sim Claudia, Zizi Possi é uma cantora que não depende mais de exposição na mídia para que se faça presente. Já atingiu aquela esfera que difere as cantoras normais das grandes cantoras desse país. Além de cantar tão lindamente, sua presença mera presença no palco é algo encantador. Seja bem vinda, Claudia.

  3. Rosane Furtado -

    Lindo e verdadeiro texto e Zizi Possi. Além de ter imortalizado Asa Morena, que até hoje as pessoas unem a música na voz e a voz à música…

  4. Amei o texto. E é isso mesmo, a grande maioria, senao a maioria, eles (cantores) sao muito melhores quando nao sao produtos de comercialização. Gostaria de ouvir/ve-la. Musica boa é sempre muito bem vinda aos meus ouvidos.

  5. Obrigado Kelly. Obrigado Rosane. Agradeço o comentário e a particpação de vocês.

  6. Putz! Como gostaria que tivesse sido eu quem escreveu o texto acima!
    Pra mim Zizi Possi é um fabuloso estado de espírito!

  7. Zizi Possi é tão feminina e delicada,que mesmo o seu lado comercial – como Asa morena e Perigo – é mais agradável que qualquer hit de hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

julho 2017
D S T Q Q S S
« jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031