Crítica: A Casa Bem Assombrada


 

a casa bem assombrada

Por Renato Mello.

Numa temporada que se estenderá até o dia 29 de março, o teatro do Oi Futuro de Ipanema está apresentando uma bela opção de espetáculo infantil: “A Casa Bem Assombrada”.

O espetáculo trata de maneira muito bem humorada de um gênero que causa fascinação no público infantil, o terror. Não é por acaso todo o encanto que, por exemplo, personagens da série Monster High exercem nas crianças, assim como a minha geração amava os monstros da Família Addams, apesar da inspiração do espetáculo ter sido a atmosfera dos filmes de Tim Burton como “Os Fantasmas se Divertem” e “O Estranho Mundo de Jack”. A peça brinca sobre essa temática ao mesmo tempo que propõem uma reflexão bem contextualizada, mas fugindo do didatismo, sobre a aceitação da diferença, além de temas que se fazem presentes na vida infantil, como o bullying ou a sempre delicada questão da separação dos pais.

A Casa Bem Assombrada - foto Helmut Hossmann 28JPG.JPG6600 -BAIXA-

A direção e o roteiro são de Ivan Fernandes. Responsável pela montagem de “Leonardo, o Pequeno Gênio da Vinci”, que foi vencedora em 4 categorias do mais importante prêmio do teatro infantil, o Zilka Sallaberry(direção, ator, espetáculo e roteiro), Ivan volta a colocar em cena um espetáculo dotado de bastante criatividade, com um roteiro muito bem desenvolvido e extremamente original. Cria belas soluções e divertidas sequências, fazendo de “A Casa Bem Assombrada” uma peça infantil bem resolvida e tecnicamente muito bem realizada.

Na história, Juju(Maíra Kestenberg), aficionada por filmes de terror, se muda juntamente com a mãe(Isabel Guéron) para uma casa velha habitada por monstros, o vampiro Karloff(Vini Messias), seu filho Zorg(Adriano Pelegrini) e um lobisomem, Ozzy(Marcelo Dias). Juju tem que se adaptar a sua nova vida, isso engloba além do novo lar, um novo colégio, novos amigos e principalmente a questão da separação dos pais. Devido aos seus gostos fora do comum, Juju sente uma forte hostilidade por parte dos novos colegas de colégio e no seu mundo solitário encontra em Zorg um novo e sincero amigo. Mas a amizade de ambos tem que ser mantida em segredo pois jamais será aceita tanto pela mãe de Juju, como pelo pai de Zorg, o vampiro Karloff.

A Casa Bem Assombrada - foto Helmut Hossmann 19 BAIXA

Maíra Kestenberg como a menina Juju encanta e diverte, gerando um sentimento de imediata identificação e empatia junto ao público infantil. Maíra em cena demonstra um enorme carisma, além de um ótimo desempenho numa adorável e encantadora intepretação. Adriano Pelegrini como Zorg e Vini Messias como o vampiro Karloff também tem atuação destacada, arrancando boas risadas do público.  Isabel Guéron, interpreta a mãe. Isabel, uma atriz bastante experimentada e com um currículo representativo tanto no cinema, quanto no teatro.  Marcelo Dias fecha o elenco vivendo o lobisomen de estimação da casa. Todos extremamente competentes em cena, num bom trabalho de direção de atores realizado por Ivan Fernandes.

A Casa Bem Assombrada - foto Helmut Hossmann 12 BAIXA

Um dos aspectos mais interessantes do espetáculo é sem dúvida o criativo cenário, assinado por Paulo Denizot, composto de paredes que em certo momento se movem, tranformando o quarto num telhado sob uma linda noite enluarada. Ótimo acabamento, bastante funcional para a proposta do espetáculo e chama a atenção pela sua qualidade, o que muitas vezes costuma ser um dos pontos fracos do teatro infantil.

Assim como os figurinos coloridos, com notável qualidade e extremamente adequados criados por Palloma Morinoto, utilizando também para a composição de alguns personagens máscaras com inspiração na Commedia Dell’Arte(confeccionadas por Flávia Lopes e Marise Nogueira). São de grande valia para a caracterização física dentro do universo criado no texto de Ivan Fernandes.

A Casa Bem Assombrada - foto Helmut Hossmann 22

Apenas a título de curiosidade para quem já passou dos 40(como eu) uma sutil referência nostálgica na sonoplastia utilizando elementos e sons da velha série “O Homem de 6 Milhões de Dólares”.

A Casa Bem Assombrada” é um espetáculo repleto de acertos em todos os aspectos. Um dos mais interessantes espetáculos infantis em cartaz atualmente no Rio de Janeiro.

A Casa Bem Assombrada - foto Helmut Hossmann 26JPG - BAIXA -

SERVIÇO:
Data: 24/01/15 a 29/03/15 (sábados e domingos)
Horário: 16h
Local: Oi Futuro Ipanema
Endereço: Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema
Ingressos: R$15,00 (inteira) / R$7,50 (meia)
Telefone: (21) 3131-9333
Bilheteria: de terça a sexta, das 15h às 21h, e aos sábados e domingos, das 14h às 21h.
Capacidade: 130
Duração: 60 minutos

FICHA TÉCNICA
Texto e Direção: Ivan Fernandes
Direção de movimento: Flávia Lopes
Elenco: Adriano Pellegrini (Zorg), Isabel Guéron (mãe), Marcelo Dias (Ozzy), Maíra Kestenberg (Juju) e Vinícius Messias (Karloff)
Direção musical: Pedro Cintra
Iluminação: Aurélio de Simoni
Cenário: Paulo Denizot
Figurino: Palloma Morimoto
Máscaras: Flávia Lopes e Marise Nogueira
Programação visual: Patrícia Duarte
Desenvolvimento do jogo: Patricia Duarte
Assessoria de imprensa: Lyvia Rodrigues (Aquela que Divulga- assessoria de imprensa)
Direção de Produção: Pagu Produções Culturais


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930