Crítica: O Boi da Cara Preta


 

 10406931_652708004823486_3078053506162516074_n

* Fotos de Cena: Janderson Pires.

Estreou neste fim de semana no Teatro dos Quatro, localizado no Shopping da Gávea, “O Boi da Cara Preta”, um encantador espetáculo dirigido por Daniel Dias da Silva, cuja montagem já teve exitosas passagens por teatros da Zona Norte, de Niterói e de Lorena, interior de São Paulo.

O título remete a famosa cantiga de ninar, que já embalou inúmeras gerações e que ainda se mantém, mesmo depois de já adultos, com força no nosso inconsciente. O espetáculo leva ao palco do teatro uma proposta de resgate de tradicionais, belos e por vezes esquecidos valores que se encontram diluídos diante da atração, do fascínio e da dependência que o avanço tecnológico impôs para nossas vidas, tanto para adultos como para crianças.

O BOI DA CARA PRETA - BY JANDERSON PIRES-2330

O texto, escrito por Barbara Duvivier, contrapõe de maneira muito interessante 2 mundos diferentes, o da grande metrópole com o universo do campo, num país que nos últimos 50 anos deixou de ser rural para se transformar em urbano, com um enorme êxodo rural que começou a partir do processo de industrialização brasileira na década de 60 e com ele perdeu valores em meio à força, pressa e impessoalidade das megalópoles. Apesar desse abismo que separa esses universos, Barbara consegue demonstrar que eles não precisam ser necessariamente antagônicos, podem muito bem serem complementares, sem que um se sobreponha sobre o outro.

Num mercado aonde um considerável percentagem de espetáculos infantis se apoiam nas histórias e contos “apropriados” pela Disney(nada contra, é bom se ressaltar, mas uma maior diversidade seria desejável), é muito bom ver um texto criado por uma jovem autora resgatando com extrema beleza temas populares e elementos do folclore nacional. Melhor ainda que essa proposta tenha acontecido com enorme êxito pela montagem muito bem sucedida de “O Boi da Cara Preta”.

A peça conta a história de uma menina tipicamente urbana, Rosa(Mariana Martins), criada dentro de um mundo cercado de aparelhos, jogos eletrônicos, redes sociais, TV a cabo e todas as maravilhas tecnológicas, mas que mesmo diante disso não deixa de se encantar com a famosa cantiga, Boi da Cara Preta, que ainda tem a força de aguçar sua curiosidade. Juntamente com seu pai Francisco(Paulo Roque) vão passar alguns dias na fazenda, aonde Rosa se depara com um mundo “estranho” e diferente do que está habituada. Na fazenda conhece Antonio(João Fraga), um garoto de 12 anos, criado no campo e que carrega consigo modos e valores totalmente incompreendidos por Rosa. Na fazenda ela acaba conhecendo o “temível” Boi da Cara Preta(Leo Campos). Um encontro que passará a ser um divisor de águas e o início de uma nova visão de mundo que se abre para Rosa.

O BOI DA CARA PRETA - BY JANDERSON PIRES-2409

Para ajudar a recriar esse universo, o espetáculo foi bastante feliz na sua direção musical, assinada por Bethi Albano, com a criação de arranjos que remetem ao lado lúdico e que me fizeram aguçar alguns sentidos e sons da minha infância, com instrumentos que fazia tempo que não escutava. Mesmo hoje em dia nos relançamentos de discos de cirandas criou-se o modismo de querer recriá-los com instrumentos modernos, mas fazia tempo que os velhos sons da batida rítmica das cirandas tradicionais já não passavam diante de mim. A direção musical de Bethi Albano é fundamental para o espetáculo atingir a plenitude de sua proposta, aonde nós os pais, pudemos resgatar um menino dentro de nós.

O elenco do espetáculo também encanta, com destaque para Mariana Martins como a jovem, geniosa e curiosa Rosa. Mariana conquista o público permanentemente com seu carisma, sua força e personalidade. João Fraga também tem uma linda atuação como o ingênuo e “matuto” Antônio, passando toda uma ingenuidade que as crianças urbanas já não tem mais, sem precisar se apoiar pelo caminho óbvio da criação de um personagem que possui tal pureza d’alma, em nenhum momento subestimando a Inteligência do público infantil. Assim como os demais atores, Paulo Roque, Leo Campos e Amanda Borguetti compõem com eficiência o quadro delineado pela direção competente Daniel Dias da Silva.

O Boi da Cara Preta” é um daqueles espetáculos necessários, aonde as crianças se encantam com um mundo alegre e desconhecido por muitas delas e os pais saem felizes porque podem reviver com nostalgia toda a singeleza do tempo da delicadeza perdida.

bco1SERVIÇOS:
Duração: 60 minutos
Classificação etária: Livre
Gênero: Infantil
Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea Rua Marques de São Vicente, 52 – 2 piso Informações (21) 2294-1096 Lotação: 450 lugares
SÁBADOS e DOMINGOS às 14h De 07/06 a 27/07
Classificação: LIVRE para todos os públicos
Ingressos: R$ 60,00 inteira R$ 30,00 meia.

FICHA TÉCNICA:
Autor: Barbara Duvivier
Direção: Daniel Dias da Silva
Elenco: Mariana Martins, João Fraga, Leo Campos, Amanda Borguetti e Paulo Roque.
Direção Musical: Bethi Albano
Direção de Produção: Alexandre Lino
Coordenação de Projeto: Mariana Martins
Cenografia e figurinos: Karlla de Luca
Iluminação: Roberto Macedo
Coreografias e assistente de direção: Anacleto Alves
Produção Executiva: Daniel Porto e Mariana Martins
Assistente de Produção: Paulo Amaro
Programação Visual: Guilherme Lopes Moura
Ilustração: Cesar Marchesini Webdesigner: Mariana Martins
Assessoria de Imprensa: Gabriela Mota
Produtores Associados: Mariana Martins e Alexandre Lino
Idealização e Realização: CINETEATRO PRODUÇÕES

 

 


Palpites para este texto:

  1. elis regina rypka vieira -

    linda peça parabenssssssssssss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

abril 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30