Infantil: Pindorama de Sucupira


 

10584237_10152290293176078_640397109_n

Por Renato Mello.

10705072_10152290293881078_1733783250_nA escritora Nara Vidal, de quem já havíamos comentado aqui no Botequim Cultural seu  livro “Arco-Íris em Preto e Branco”, acaba de lançar um novo trabalho para o público infantil, “Pindorama de Sucupira”, com ilustrações de Bruna Assis Brasil e lançado pela Penninha Edições.

George Orwell já dizia que “a história é escrita pelos vencedores”. No caso do Brasil, pelos conquistadores. Na famosa carta de Pero Vaz de Caminha já havia referências contundentes sobre o choque cultural do primeiro contato de portugueses e índios “…Andam nus sem nenhuma cobertura, nem estimam nenhuma cousa de cobrir nem mostrar suas vergonhas e estão acerca disso com tanta inocência como têm de mostrar no rosto…”.

Nara Vidal optou por um ponto de vista diferente. Sua protagonista, a pequena indiazinha Sucupira, prefere imprimir a especificidade de sua visão: “tinham chapéus mas nenhum furo no rosto, nem uma pintura colorida. Imagine viver sem pintura no corpo!”. É através do olhar inocente, mas arguto de Sucupira que o primeiro contato entre índios e portugueses vão nos sendo revelados. Se na “certidão do Brasil”, Pero Vaz de Caminha registrou que “eles porém contudo andam muito bem curados e muito limpos”, Sucupira por seu lado achou aqueles homens barbudos que vestiam roupas demais, “bastante malcheirosos”.

Não fala necessariamente do Brasil, mas de Pindorama. “Terra das Palmeiras”, segundo a Wikipédia: “designação para o local mítico dos povos tupis-guaranis, que seria uma terra livre soa males”. A autora narra essa saga com encantamento, mas com uma visão bastante lúcida e crítica: “muitos livros de História falam de nós como um povo atrasado. Mas a verdade é que vivíamos felizes, autossuficientes e caçando o que precisávamos”, diz a indiazinha.

Pindorama de Sucupira” contém uma história importante para que nossos filhos compreendam desde cedo que não devem se contentar apenas com a visão oficialesca de um currículo escolar. É preciso ir além e estar permanentemente aberto para ouvir sempre os 2 lados de um mesmo fato. É também um libelo contra a intolerância e pelo respeito à diversidade do olhar.

10714651_10152290292741078_19617316_n

Não há como deixar de tecer comentários ao trabalho da ilustradora Bruna Assis Brasil, que “colore as palavras” de Nara com muita beleza, utilizando-se de cores e traços fortes e de extremo bom gosto.

Nara Vidal repete nesse trabalho uma característica sua tão marcante que é a delicadeza na escolha das palavras, sempre com um refinamento despretensioso que acabam por gerar um encantamento de quem lê. Mais um livro de uma autora que além de notório talento, possui acima de tudo uma visão humanista e de respeito pelo seu público, do qual jamais subestima sua capacidade.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930