Nos Bastidores do Teatro Infantil – Série de Entrevistas: 4.André Rayol Jorge


 

ARJ10

Desde que passei a frequentar o universo do teatro infantil, André Rayol Jorge foi um dos atores que mais me chamou a atenção. Primeiramente pela sua onipresença, parecia estar em todos os elencos de peça infantil da cidade em 2013. Em segundo lugar pelas boas risadas que esse burro velho aqui deu com seu Capitão Gancho(“Peter Pan“), com seu Príncipe picareta(“As Princesas“) ou como o pai da Cinderella(“Cinderella, o Musical“). Em terceiro lugar saltava os olhos a paixão que André demonstrava em cima do palco, vivendo intensamente cada um dos seus personagens. Virei fã de André Rayol Jorge.

É com imenso prazer que apresentamos hoje a 4ª entrevista da nossa série “Nos Bastidores do Teatro Infantil” com o ator André Rayol Jorge.

.

BC: – “Peter Pan”, “As Princesas”, “Cinderela”, poucos atores fizeram tantos espetáculos infantis como você em 2013. Por que essa opção pelo teatro infantil?
ARJ: –  Meu ponto de vista é NÃO enxergar como uma “opção”. Trato como todos os trabalhos que faço; Com a mesma seriedade, o mesmo profissionalismo, a mesma dedicação e a mesma vontade de fazer o melhor possível; Independente de ser uma produção para Hollywood ou uma encenação com bolinhas,  sinal da esquina da minha casa. Eu compro o produto, e não a “moldura” onde ele vai ser exibido. E olha que além dos infantis, ainda fiz 2 musicais (Rapsódia e Meia-noite Cinderela.) adultos e mais um filme(Sinal.), em 2013!!E TODOS tratados com o mesmo “ponto de vista” !!O que me motiva à trabalhar com(Para) crianças é o mesmo que me leva à trabalhar com(Para) adultos, o AMOR que eu sinto em fazer isso, e UMA BOA HISTÓRIA PRA CONTAR. Se for bom, e eu puder fazer, conte comigo pra fazer o melhor.
.
BC: –  Ao contrário do que se pensa, teatro infantil não tem nada de amador. Existe um mercado, atores que se dedicam ao gênero, criadores, técnicos. Mas você não acha que esse mercado tem um enorme potencial que ainda não foi atingido?
ARJ: – O que falta é INCENTIVO. E esse incentivo tem que vir de todas as partes!!Eu sempre tive na cabeça, que não só o teatro, mas toda forma de expressão artística, foi e sempre será uma das portas mais importantes de formação para um cidadão; Imagine então o teatro infantil?!?! Nosso povo é carente de cultura, de posicionamento, de opinião, de FORMAÇÃO!! É triste as escolas, em sua maioria, não terem aulas de música, teatro, belas artes, cultura no geral! E quando digo que falta incentivo de todas as partes, é porque não temos(Infelizmente!) um governo que se preocupe com isso; Pais, em sua maioria, que deem a real importância para isso; E de certa forma, a própria classe artística que tenha consciência de que esse incentivo fomenta futuros consumidores de cultura; Criando cidadãos mais esclarecidos culturalmente. Ou seja, Teatro Infantil, É FUNDAMENTAL.
.
BC: – Quando você está em cena interpretando o Capitão Gancho ou um Príncipe(mesmo que picareta), de alguma maneira isso te remete a alguma reminiscência da sua infância, brincando de pirata ou de príncipe? Como você lida com esse lado lúdico de viver um personagem de conto de fadas?
ARJ: – COM A VERDADE. Quando comecei, eu ouvi de um Grande mestre: “Procure dentro de você; Em algum lugar, aí dentro, você vai encontrar.”; E caiu como uma luva, e trago isso pra tudo o que faço!! Nós, seres humanos, temos muitas facetas; Umas bem escondidas, e outras mais exploradas. Cabe a nós procurar saber usá-las da melhor forma. Quando crianças, não acreditávamos, de verdade, que éramos a polícia, ou o ladrão, na brincadeira? Então, é a mesma coisa; Acredite, E A VERDADE VEM.
.
BC: – Trabalhar em teatro infantil ajudou de alguma maneira no seu desenvolvimento como ator? Improvisação? Maior concentração?
ARJ: – Eu levo tão a sério o meu ponto de vista(Sobre o qual falei lá em cima.) que, realmente, nesses anos de trabalho, não consegui perceber “de onde” vem o meu desenvolvimento como artista. Na verdade, acho que vem DO TODO, e TODO MISTURADO!! Do cinema, do infantil, da tv, do “teatrão” ,do musical adulto…; Vem do dia a dia!! Cada dia é diferente, e cada dia trás algo novo, que vai me fazer aprender mais. É um eterno aprendizado! E isso para um ator, é a melhor escola que pode existir!!
.
BC: –  Outra especialidade sua, muito utilizado também no gênero infantil, são os musicais. Como surgiu seu interesse pelos musicais?
ARJ: – Não, eu não tinha o sonho de ser ator, e cantar, desde criancinha!!rsrs; Apesar da música me acompanhar desde pequeno(Minha mãe tocava piano e violão, meu Pai sempre cantou muito pra gente(E olha que ele tem uma voz Linda!!!),meu irmão tinha uma banda…), eu tinha outros planos DE VIDA!! Pra se ter uma ideia, eu NÃO SERIA Ator!!Fiz faculdade de Economia; Já tinha uma carreira toda traçada(!!!); Mas isso eu conto em outra história! rsrs; Então, quando comecei a estudar artes cênicas, foi natural, a música veio junto; E ela, SEMPRE QUE POSSÍVEL, me acompanha.


.
BC: – Fale-nos da sua formação como ator de musicais? Quais foram suas referências e influências?
ARJ: – Aula, aula, aula, e mais aulas!! Eu sempre fui um cara “nerd” nesse sentido; E o caminho para eu me sentir seguro no que faço e entender bem o que tenho que realizar, é praticar, praticar e praticar. E eu não sei se é defeito ou qualidade, mas eu nunca acho que está bom o bastante, sempre acho que posso melhorar. Então, quando resolvi não só ser ator de musicais, mas SER ATOR, eu fui…ESTUDAR. Quando resolvi ser Ator(Isso foi em 2000.) fui logo procurar uma escola, e escolhi a C.A.L.; E por coincidência foi no mesmo período, da volta, do boom dos musicais; E para minha Sorte, eu tive a chance de estar bem perto quando o Charles(Möeller) e o Claudio(Botelho) estavam montando Cole Porter, que foi um mega sucesso! Só de estar ali perto eu já aprendia demais; Mas óbvio, eu sou “nerd” demais pra trabalho; Saí Dalí e fui procurar um professor de canto, e uma escola de dança!! Passei por professores de canto e dança incríveis, e até hoje tenho aulas. Necessidade de melhorar, aprender, aperfeiçoar, SEMPRE. Quanto as minhas referências e influências…,nossa…,são tantas(!!!),que ficaria horas dizendo que sou admirador de ator/atriz tal, diretor/diretora tal, cantor/cantora tal…; Prefiro dizer que sou um grande OBSERVADOR. Faz parte do meu trabalho, e me dá grande prazer ter uma percepção maior sobre tudo que está a minha volta, e o que não está também!! Saber e entender como “tudo” se encaixaria pelo meu ponto de vista, eu tendo que usá-lo ou não; Isso me dá um prazer gigantesco!! Tudo me influencia, de certa forma; Cabe a mim, saber o que é representativo e me faz melhor, e o que pegamos e embrulhamos pra jogar no lixo. 

.

BC: – Você está trabalhando atualmente na Ópera-Rock “Meia Noite Cinderela”, fale-nos um pouco desse projeto?
ARJ: – É um projeto INCRÍVEL!! Só o fato de ser totalmente autoral; Texto, letras, concepção; Já despertou meu interesse de cara; E quando eu li o texto e conversei com o Jay Vaquer(Autor(texto e músicas) e realizador.),fiquei Apaixonado pelo projeto!! É TOTALMENTE diferente das propostas que tem sido realizadas hoje em dia. Claro, existem outros projetos com qualidades incríveis; Mas esse me atraiu pelo diferencial!! NÃO, não é a historinha do conto de fadas; É justamente o contrário!! É um outro “Ponto de vista” sobre a história de uma menina que passa a vida inteira sendo humilhada e maltratada, e tentando mudar sua vida; Só que visto de uma forma mais realista, dura, cruel com o que poderia ter acontecido em uma situação como essa. E com “subtextos de um inconsciente”, que na nossa história, SE TORNAM REAL!!E isso tudo, numa “pegada” bem Rock and Roll!!Reunimos uma equipe, tanto artística, quanto técnica, Incrível!! Atores/Cantores Maravilhosos; E a parte técnica,…nossa, de babar!! Fizemos duas semanas de previews, em dezembro, no Rio de Janeiro; E foram duas semanas de Casa Lotada no Teatro Carlos Gomes!!E o público Vibrando e QUERENDO MAIS!! Vamos estrear em Março, no Rio de Janeiro; E  se preparem, a gente vem pra IMPACTAR E ARREBENTAR!! Aguardem!!

BC:- É possível viver de teatro infantil no Brasil?
ARJ: – NÃO!! Em um país que temos que bater de porta em porta, com o pires na mão, implorando para que nos ajudem, financeiramente, a levar Cultura para o povo, e muitas vezes somos negados(!!!)??? Não, não é possível viver de teatro infantil.  verdade, a Arte, no geral, não consegue sobreviver sem o apoio e o incentivo necessários(Voltamos a pergunta lá de cima!)!! E quando falo isso, é de uma maioria, tanto da classe, quanto da população, que não conseguem ter acesso ao que, em um país que desse a real importância para a Cultura, deveriam ter. Em um país que se importa com seu povo, o fomento à cultura faz todos ganharem; O povo e quem leva isso ao povo.
.
BC: – Como se dá o processo de contratação dos atores no teatro infantil? Vocês tem relações contratuais com os espetáculos? É um mercado sério e correto ou tem muito aventureiro no meio?
AJR: – Da mesma forma como outros processos artísticos. Testes, escalação de elenco, negociação, contrato…; A relação contratual é fundamental para que, cada vez mais, se tenha um Teatro sério; Comprometido, atuante e profissional. É a única forma de nos organizarmos mais, e assim termos como exigir direitos e deveres de ambos os lados; Do contratante e do contratado.  Pra mim, se torna um mercado sério à partir do momento em que EU procuro pessoas sérias e corretas pra trabalhar. Não consigo ver de outra forma. Só vai estar do meu lado, e só vou estar do lado, de quem faz da minha profissão um lugar de dedicação, profissionalismo e vontade de querer sempre fazer melhor. E quanto aos “aventureiros”…,sim existem, como em todo lugar. Mas o PROFISSIONALISMO “da cabo” deles.
.
BC: – Você se sente recompensado como ator fazendo teatro infantil?
ARJ: – EU ME SINTO RECOMPENSADO EM SER ATOR!! “Bati muito nessa tecla” durante essa entrevista, né? rs ;  É porque, de verdade, independente de onde eu esteja, ou do que estiver fazendo, eu vou tentar agir da mesma forma!! Com muita dedicação, muito profissionalismo, muita entrega, muita humildade, muita vontade de fazer cada vez melhor e principalmente, MUITA VERDADE. E o que me recompensa é ouvir cada palavra de carinho, cada olhar sincero, cada gesto de satisfação quando realizo o meu trabalho…E pra cada qual, de todos e de todas as pessoas, minha Eterna Gratidão. O sorriso dessas pessoas me faz feliz. Mas é claro, o sorriso de uma criança…É O SORRISO DE UMA CRIANÇA!!  Que venha MAIS!! É SÓ ME CHAMAR!!Vivas ao TEATRO INFANTIL!! Vivas ao TEATRO!!


Palpites para este texto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

outubro 2017
D S T Q Q S S
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031