“O Réu e o Rei”, livro de Paulo César de Araújo Chega de Surpresa nas Livrarias


 

O meu exemplar, antes que proíbam

Embora já fosse de conhecimento público que Paulo César de Araújo estava escrevendo um livro chamado “O Réu e o Rei”(nós mesmos mencionamos, quando estivemos em sua palestra na Casa do Saber, que pode ser lida AQUI ), não deixou de ser surpreendente a estratégia adotada pela editora Companhia das Letras para o seu lançamento. Sigilo absoluto, o livro chegou hoje nas livrarias praticamente de surpresa, já no final da tarde seu lançamento era o grande destaque em todos os grandes sites de notícia brasileiros e amanhã(21/05) deverá ser o grande assunto dos cadernos culturais.

É possível entender a estratégia usada, possivelmente o receio por parte da editora ou do autor de alguma medida judicial para tentar impedir sua chegada às livrarias. Com o livro já à venda, o “estrago” já está feito mesmo se Roberto Carlos consiga alguma liminar.

O livro conta os bastidores da rumorosa batalha judicial que tirou de circulação a biografia “Roberto Carlos em Detalhes”, escrita por Paulo César, tema que gerou enorme debate na época do lançamento em 2006 e foi ressuscitado recentemente pela enorme polêmica causada pelo apoio de medalhões da MPB à restrição na liberação de biografias. O Botequim Cultural acompanhou bem de perto esse debate, que pode ser lido AQUI.

Segundo o site da Companhia das Letras, “O Réu e o Rei” trata “a história interna dessa história. Os detalhes, os bastidores. Trata de música e censura. De artistas e advogados. De entusiasmo juvenil e audiências judiciais. Da busca por fontes e negativas. Da luta entre liberdade de expressão e controle da informação. É, antes de tudo, a história de um biógrafo que tenta encontrar sentido nos anos dedicados a estudar a trajetória de seu ídolo na música brasileira. É uma história ainda sem ponto final, mas sobretudo por isso necessária, que deve ser lida por todos os que se interessam pela discussão em torno da liberdade de expressão em nosso país”.

Com apenas algumas horas à venda, a primeira controvérsia já apareceu. O juiz Tércio Pires, que foi responsável pela audiência de conciliação que acabou no acordo firmado entre a editora Planeta e o cantor(à revelia do autor) em janeiro de 2007, se manifestou sobre as afirmações de Paulo César. O escritor relatou que durante aquela audiência favorável a Roberto Carlos, o juiz teria pedido para tirar foto, pedido autógrafo e até entregue um CD seu para que Roberto Carlos ouvisse. O juiz Tércio Pires, cujo nome artístico é Thé Lopes, afirmou ao “O Globo“:

“- É mentira, não falei nada disso (que gostaria que Roberto Carlos ouvisse e desse opinião sobre o CD dele), nem ele (Roberto Carlos, que teria respondido que ouviria com carinho). Terminou o acordo, estava todo mundo conversando, todos felizes e sorridentes e, exatamente por esse desprendimento, peguei meus CDs e dei para todos os advogados, promotores, para todo mundo, inclusive para o seu Paulo. Posso até ter feito um comentário para ouvirem, mas foi dentro desse contexto

– Roberto Carlos tirou foto como todo mundo que estava presente na audiência, inclusive com os promotores e advogados. Só não tirou com o Sr. Paulo, ele não quis. Ao final, disse que era a vez do juiz. Em um clima absolutamente feliz, sereno, mas entenda o contexto, num clima de acordo. Você acha que num panorama desse eu diria que não tiraria foto com ele? Eu acharia grosseiro não aceitar 

– Começo a achar que o artista (Roberto Carlos) tem razão e que ele (autor do livro) é oportunista.

Só nos resta lamentar as declarações do juiz. Basta ler suas próprias declarações para concluirmos que sua postura em nenhum momento esteve próxima do que se é esperado de um magistrado

O fato é que antes que Roberto Carlos e seu advogado, Kakay, consigam o embargo do livro, já tratei no primeiro dia de garantir meu exemplar.


Palpites para este texto:

  1. Roberto Carlos, se vc pensa que o livro Roberto Carlos em Detalhes, iria prejudicar sua carreira, sua história etc …enganou-se redondamente, principalmente porque não contou nada além do que todos já sabíamos o livro só fala bem e enaltece sua pessoa, só vc não conseguiu vislumbrar tal fato, infelizmente. Agora, quer saber uma coisa que realmente prejudicou, que manchou sua biografia, seu legado ? … lá vai … sua atitude sua fúria injustificada, essa sim, escancarou sua fragilidade e imperícia em administrar o ônus que o sucesso também carrega consigo. Vc poderia, claro, discordar, mas não precisava fazer o maremoto que fez, na sua idade, parecendo um adolescente que acaba de perder a namorada, muito pior que o livro foi a tal propaganda da Friboi, vc não come carne vermelha, no entanto induz e aconselha o consumo … que coisa feia … que pena, fiquei menos fã do Roberto …

    • carlos alberto cunha -

      Só queria saber uma coisa. Se um livro trata da biografia, da história da vida de alguém de carne e osso, vivente e respirante, como pode o personagem principal ser ignorado?. Seria em razão do ilimitado direito de informação?. É balela a alegação de que qualquer excesso pode ser reparado na justiça. Até lá a mentira já assumiu ares de verdade e nunca mais será mentira.

  2. Roberto Carlos não é pra ser levado a sério,suas músicas duram só até o próximo sábado.Sem contar a revanche disfarçada do biógrafo,que só tem falado mal do artista.

  3. REGINAH LUCIAH MOURA BARBOSA -

    Li o livro, que comprei em agosto quando estive em sp na livraria cultura. achei que era mais livro dos que eu costumo ler, dentre os quais muitas biografias. Mas, me vi algemada ao livro, nao conseguia largar. este foi o maior e melhor livro que ja li em minha vida. chorei apos ter vista tanta injustiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

abril 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30