Prêmio Portugal Telecom 2012


 

Foi realizada ontem, 26/11, a premiação da 10ª edição do Portugal Telecom no auditório do Ibirapuera, São Paulo. O grande vencedor da noite foi o escritor português Valter Hugo Mãe pelo seu romance “A Máquina de Fazer Espanhóis”. O livro de Mãe recebeu o principal prêmio da noite, o Grande Prêmio Portugal Telecom, além de também ter levado o prêmio na categoria Romance. O escritor Dalton Trevisan foi o vencedor na categoria Conto por “O Anão e a Ninfeta”. Por fim, Nuno Ramos foi o ganhador na categoria Poesia, por “Junco”.

O Prêmio Portugal Telecom se tornou ao longo desses últimos anos um dos mais importantes e prestigiados prêmios literários do país, além do prestígio que proporciona aos seus vencedores, se tornou cobiçado também pela generosa premiação financeira que outorga. Cada um dos vencedores recebeu o valor de R$ 50 mil, sendo que Valter Hugo Mãe ainda recebeu mais R$ 50 mil pelo Grande Prêmio, totalizando R$ 100 mil em prêmios. A partir de 2007, o Portugal Telecom passou a aceitar obras em idioma português de todos os países lusófonos, sendo que foi apenas a 2ª vez que o prêmio não foi para um escritor brasileiro. Na outra vez que isso ocorreu foi no próprio ano de 2007 quando o português Gonçalo M Tavares venceu por “Jerusalém”. Isso talvez se explique, não por uma superioridade da literatura brasileira(superioridade inclusive inexistente), mas pelo fato de (apesar do patrocínio e institucionalização da grande empresa portuguesa) que seus jurados sejam brasileiros e sua essência extremamente nacional. Hoje, o Prêmio Portugal Telecom talvez só perca em importância ao Jabuti, mas ao contrário deste, passou os últimos anos longe das polêmicas e controvérsias que acompanharam o Jabuti. Ainda há o prêmio APCA, também bastante conceituado.

Na categoria Romance, Mãe venceu trabalhos prestigiados e com alto grau de reconhecimento por parte da crítica, como “Diário da Queda”, de Michel Laub; “K”, de Bernardo Kucinski; e “Procura do Romance”, de Julián Fuks. Ao receber seu prêmio nessa categoria, Mãe declarou:

Quero dizer que é uma honra ter sido finalista ao lado desses autores. Eu estava convencido de que o Bernardo Kucinski iria ganhar. Então, muito obrigado“,

Como seria normal, Dalton Trevisan não esteve presente na cerimônia para receber seu prêmio, mais não impediu de ser o mais aplaudido da noite, tendo sido representado pela sua editora, a Record. Concorreu também nesta categoria outro ícone da literatura nacional, Sérgio Sant’Anna, com “O Livro de Praga”, além dos escritores João Anzanello Carrascoza e Evando Nascimento. Vale lembrar que em maio deste ano Trevisan foi o grande vencedor do Prêmio Camões, o mais importante prêmio da língua portuguesa.

Valter Hugo Mãe era inteiramente desconhecido no Brasil até a edição da Flip do 2011, aonde saiu do evento como uma celebridade literária no Brasil, tendo seu livro sido o mais vendido daquela edição. Quanto a Nuno Ramos, vale salientar que é a segunda vez que vence o prêmio, havia ganho em 2009 por “Ó”.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

dezembro 2017
D S T Q Q S S
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31