Série Divas: 5.Marilyn Monroe


 

 

 

 

Texto Adriana Mello
.
Independentemente de gostar ou não da Marilyn é inegável que ela foi (e acredito que ainda é) a diva das divas.  Pena que a vida dessa diva é mais um daqueles casos de falsa aprência. Se diante das telas Marilyn sempre aparentava enorme felicidade, na vida pessoal a história é bem diferente. Sua vida foi repleta de falsas promessas, relacionamentos complicados, maridos que não a compreendiam, abandono de amantes, a doença de sua mãe (que não conheceu). O único relacionamento bem sucedido de Marilyn foi com o cinema.
.
Norma Jean Baker nasceu em Los Angeles no dia 1 de junho de 1926, filha de Gladys Monroe e pai desconhecido. Sua mãe sofria de problemas psicológicos e precisou parar de trabalhar (como editora de filmes) para ser internada em uma instituição psiquiatrica. A pequena Norma Jean foi criada entre orfanatos e casa de famílias. Aos 11 anos de idade foi morar com uma amiga de sua família, Grace Goddard. Em 1942, quando Norma Jean tinha 16 anos, a família Goddard precisou  mudar-se para costa leste americana e por razões finaceiras, não puderam levar a menina. Norma Jean tinha 2 opções: retornar ao orfanato ou casar-se com seu namorado Jimmy Dougherty com quem namorava há 6 meses.
.
Ela escolhe o casamento e durante dois anos ela foi a perfeita dona de casa. Em 1944, Jimmy ingressa na marinha e é tranferido para o Pacífico Sul. Com a partida do marido, ela se vê obrigada a trabalhar pela primeira vez. Seu primeirow emprego foi em uma fábrica em Burbank, na Califórnia. O que Norma Jean não sabia é sua vida estava muito perto de dar uma virada. O fotógrafo Davis Conover vai até a fábrica a serviço da revista Yank, que encomendara uma matéria sobre mulheres que trabalhavam na produção bélica. Davis fica impressionado com Norma Jean e a convida para outros trabalhos e em menos de dois anos ela se torna uma respeitada modelo. Sonhando em tornar-se uma estrela, ela começa a frequentar um curso de teatro tendo como exemplo, Lana Tuner e Jean Harlow.
.
.
No início do ano de 1946, o marido volta para casa, e ela tem que escolher entre carreira e o casamento. Norma Jean e Jimmy se divorciam em junho daquele mesmo ano e em agosto ela assina contrato com Twentienth Century Fox. Em 1947, ela pinta o cabelo de louro e muda seu nome para Marilyn Monroe (sobrenome da sua avó).
.
.
Marilyn faz pequenas participações em vários filme. Sua grande chance ocorre em “A Malvada”, estrelado por Bette Davis em 1950. O filme lhe rende vários elogios da crítica e papéis cada vez maiores. Em 1953, sua elogiadíssima interpretação em “Torrente de Paixão”, a coloca definitivamente no estrelato. E aos 27 anos, ela torna-se a loura mais amada do país.
.
.
Em janeiro de 1954, ela se casa com o jogador de baseball Joe Di Maggio. Mas DiMaggio não lida muito bem com a figura sensual da esposa e o casamento dura apenas 9 meses.
.
Disposta a se livrar  da imagem de “sex symbol”, Marilyn muda-se para NY para estudar na conceituada escola de Lee Strasberg. Lá conhece o dramaturgo Arthur Miller com quem se casa em 1955. Neste mesmo ano ela inicia um caso com o presidente John Kennedy. Esse durou 6 anos e rendeu muita dor de cabeça para Kennedy que sofria pressão de todos os lados para que terminasse o caso com a atriz. Há quem afirme que após o rompimento com John, Marilyn iniciou um caso com seu irmão caçula Robert.
.
.
Em 1956, ela funda sua propria produtora, a Marilyn Monroe Productions.  A empresa produz (entre outros) os filmes “Nunca Fui Santa” e “Principe Encantado”. Em 1959, ela brilha em “Quanto Mais Quente Maior”  e tem seu trabalho premiado com o Globo de Ouro naquele mesmo ano.  Mas no mesmo período em que alcança o tão sonhado reconhecimento, ela passa a ter problemas com alcool, drogas e com seu marido. Em 1961, Marilyn e Miller se divorciam.
.
Em maio do ano de 1962, Marilyn é levada a sede do partido democrata para cantar “Happy Birthday” no aniversário de 45 anos de John Kennedy.  Após esse episódio, a pressão em cima de John Kennedy fica insustentável, e para o desespero de Marilyn, ele termina o romance.
.
.
No dia 5 de agosto de 1962, Marilyn Monroe é encontrada morta aos 36 anos de idade. Apesar de muita especulação em relação a sua morte (americano adora uma teoria da conspiração), prevaleceu a versão oficial de overdose pela ingestão de barbitúricos. O caráter misterioso de sua morte prevalece até os dias de hoje. Os vizinhos relataram escutar barulho de helicóptero durante a noite inteira naquela noite. Uma ambulância foi vista por várias testemunhas do lado de fora da casa da atriz antes da empregada dar o alarme. As gravações de suas ligações , outras pistas e documentos do FBI desapareceram. O relatório da autópsia foi perdido. Amigos e parente de Marilyn que tentaram investigar a morte da atriz por conta própria receberam ameaças de morte. Com quem Marilyn tentara falar naquela noite já que ela segurava o telefone na mão ao ser encontrada morta? Seria uma tentativa de pedir socorro? Provavelmente, as respostas nunca serão conhecidas, mas Marilyn permanece viva como a maior diva do cinema.

Palpites para este texto:

  1. Bom dia,

    Bom artigo, me ajudou no que eu buscava. Creio que possa ajudar a outras pessoas também. Muito obrigado. Abraços.

  2. Boa tarde,

    Bacana o artigo do site. Acho que poderia abordar mais questões a respeito do que foi aqui tratado, isso ajudaria a esclarecer algumas dúvidas que tivermos. Vlw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

julho 2017
D S T Q Q S S
« jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031