Tavito e a Rua Ramalhete


 

Tavito é aquele tipo de músico que infelizmente o grande público não liga o nome à pessoa. Autor de lindas músicas que todos já ouviram em algum momento, mas que desconhecem seu verdadeiro criador. Quem nunca ouviu Elis Regina cantar “Casa no Campo”? Ou quem nunca ouviu esses versos?

Sem querer fui me lembrar/De uma rua e seus ramalhetes/O amor anotado em bilhetes/Daquelas tardes.
No muro do Sacré-Coeur/De uniforme e olhar de rapina/Nossos bailes no Clube da Esquina/Quanta saudade!

Tenho uma admiração por Tavito desde a infância. Explico: Eu morava no Bairro Peixoto, Copacabana e no meu prédio eu tinha como vizinho o Tavito. Do alto dos meus 8 anos ficava impressionadíssimo com aquele sujeito enorme(com 8 anos todo mundo é enorme) com quem  vivia cruzando pela portaria, elevador e adjacências sempre carregando aquele violão,simpatíssimo comigo. Sentia até um certo orgulho de que as músicas do meu vizinho tocava no rádio. Recordo-me ainda hoje com nitidez o dia que cruzei com ele e indignado contou que estava chegando do “Povo na TV”, aonde havia se apresentado e afirmava com contundência que nunca mais botaria os pés lá(quem se lembra do “Povo na TV”? Um precursor dos programas televisivos estilo mundo cane com Wilton Franco, Wágner Montes e Sérgio Mallandro[meu Deus!!!!]).

Tavito se mudou do meu prédio e foi morar em São Paulo aonde seguiu sua brilhante carreira no mercado de jingles(minha mãe dizia que jingles dava muito dinheiro), mas à distância continuei acompanhando como podia seu trabalho enquanto escutava suas composições pelo rádio(na sua voz ou na de outros cantores), “Rua Ramalhete”, “Pé de Vento”, “Naquele Tempo”Aquele Beijo”, “Começo, Meio e Fim” etc. Um belo dia, eu já com uns 15 anos, estava almoçando com minha mãe num bar do Bairro Peixoto, em frente ao meu prédio, quando Tavito em visita ao Rio por lá apareceu e sentou conosco na mesa. Ali tive a oportunidade de falar para ele o quanto gostava de suas músicas. É muito legal quando você pode falar da sua admiração para um artista que você curte, perguntou de que músicas eu gostava e lembro-me de sua expressão de admiração quando este fedelho aqui cantarolou alguns versos de “Pé de Vento”: “E de cara a cara/Quando tudo para/Tocar os seus cabelos e dizer o que sinto”…Depois disso nunca mais o vi novamente pessoalmente.

Lembrei agora de Tavito enquanto escrevia o post anterior relacionado ao Clube da Esquina, do qual ele tocou no lendário disco do Lô Borges e do Milton Nascimento, na época como integrante do grupo “Som Imaginário”. Tavito vale um post, assim como seu companheiro do “Som Imaginário”, Zé Rodrix, um nome que junto com Tavito é responsável pela composição de “Casa no Campo”. Zé Rodrix, por sinal, é um nome que em minha opinião não teve o reconhecimento em vida que seu talento merecia, mas talvez mesmo por sua culpa que em certo momento “se escondeu” do grande público e igualmente se dedicou ao universo dos jingles e da publicidade.

Para Tavito não quis fazer aquele típico post biográfico, preferi fazer assim desta maneira, simples, singelo e com afeto.

Abaixo estou postando algumas músicas suas e uma entrevista dada ao Jô Soares.


Rua Ramalhete


Palpites para este texto:

  1. Tavito Carvalho -

    Prazer em lê-lo, meu velho. O que fica da vida são essas manifestações que comprovam nossa passagem pelo mundo tocando o coração das gentes no trajeto. Obrigado pelo carinho / Tav

  2. Por nada, Tavito. Flar do seu trabalho foi um grande prazer para mim. Grande abraço.

  3. Que lindo! amei esse texto!

  4. Eu amo essa música Rua Ramalhete. Detalhe: sempre achei que o nome da música fosse “Clube da Esquina”, rsrsrs…
    Essa homenagem é mais do que merecida!
    Parabéns ao Tavinho e ao Renato por esse singelo e tocante post!
    Um abraço.

  5. Eline, Também amo a música Rua Ramalhete. Embora a música não se chame “Clube da Esquina”, ela tem toda a influência do movimento. Sem contar que o Tavito tocou no disco histórico “CLube da Esquina” do Lô Borges e do Milton Nascimento, quando ainda era integrante do grupo musical Som Imaginário.

  6. Parabéns pelo belo trabalho. É sempre maravilhoso conhecer mais sobre o grande e talentoso Tavito.

  7. Parabéns pela linda homenagem,super merecida! Quando ouço a música Rua Ramalhete tenho a sensação de voltar no tempo numa época maravilhosa. Tavito fez parte da minha geração, Gratidão por isso!

  8. Parabéns pela linda homenagem,super merecida! Quando ouço a música Rua Ramalhete tenho a sensação de voltar no túnel do tempo. Tavito fez parte da minha geração, Grat

  9. Gratidão!

  10. Fantastica e merecida a homenagem a este compositor maravilhoso que e Tavito, moro em uma travessa desde pequeno, como a descrita na musica,e no passado haviam festas e brindadeiras dançantes, assim como ele descreve em sua musica “rua ramalhete”, imagine a saudade desses tempos, quando ouvimos essa obra prima da mpb, Parabens Renato Mello pela singela recordaçao deste notavel artista.

  11. Na vida devemos elogiar apenas as pessoas que realmente merecem ser elogiadas e Tavito é uma delas .Um monstro!Belo texto!O Zé Renato por exemplo do Boca Livre para mim era algo intangível e a vida fez com o que faz uma roda gigante .Da voltas assim como o mundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Calendário de postagens

setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930